ASAE

Apreensão de leite é «ilícita e injusta», diz Pingo Doce

O Pingo Doce considera que a apreensão feita pela ASAE de 568 embalagens de leite em duas das suas lojas configura uma medida «ilícita e injusta».

A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica apreendeu 568 embalagens de leite em duas lojas do Pingo Doce, numa acção nacional de fiscalização à venda de leite abaixo do preço de custo (dumping).

A denúncia partiu da Associação Nacional das Indústrias e Lacticínios com base nos panfletos e nas campanhas dos supermercados.

«No âmbito de uma acção nacional de fiscalização levada a cabo pela ASAE, foram levantados dois autos de apreensão de embalagens de leite meio gordo de marca própria em duas lojas» do grupo, lê-se num comunicado enviado à TSF.

O Pingo Doce informou, no texto, que disse à ASAE que «entende estar a ser vítima de uma medida de apreensão ilícita e injusta», na medida em que «não existem indícios» de que «esteja a praticar qualquer infracção com a realização da acção promocional em questão».

A empresa informou também que a promoção em curso, que consiste na oferta de uma embalagem de leite de marca própria na compra de outra, não tem qualquer efeito de prejuízo para os fornecedores da empresa.

No comunicado, a cadeia de supermercados fez ainda questão de frisar que as apreensões não têm nada a ver com «questões de segurança alimentar».