Economia

Bloco diz que Costa e César fizeram "declarações factualmente erradas"

Pedro Filipe Soares contraria o PS e garante que o Bloco apresentou a proposta para penalizar no fisco a especulação imobiliária."Havia disponibilidade de trabalho nesta matéria".

O Bloco diz que não quer que o "enredo de equívocos dos últimos dias intoxique as negociações do Orçamento de Estado para 2019, mas o líder parlamentar Pedro Filipe Soares chamou os jornalistas para dizer que tanto o primeiro-ministro como o líder parlamentar socialista Carlos César proferiram "declarações factualmente erradas" sobre as negociações da proposta de penalização fiscal da especulação imobiliária, que o CDS apelidou de "imposto Robles".

O Bloco diz que "não foi na passada sexta-feira" que falou, pela primeira vez, com o Governo sobre o assunto e detalha, recordando uma conferência de imprensa no Parlamento, no dia 19 de julho, depois de a proposta "ter sido apresentada em reunião ao Governo".

Pedro Filipe Soares enumera as presenças nessa reunião: "O ministro das Finanças, Mário Centeno, o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, António Mendes, o secretário de Estado do Tesouro, António Novo, o secretário de Estado do Orçamento, João Leão e ainda os secretários de Estado Adjunto e das Finanças, Mourinho Félix e dos Assuntos Parlamentares, Pedro Nuno Santos".

"Sei que nenhum deles desmentirá perante as câmaras de televisão que esta reunião se realizou e que este tema foi debatido", disse o líder da bancada do Bloco de Esquerda.

Pedro Filipe Soares diz que o assunto foi retomado na última sexta-feira, numa reunião com o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais e que "o Governo expressou disponibilidade para trabalhar no concreto da medida"

O Bloco garante que está "empenhado" em chegar a um Orçamento que mereça o voto favorável dos bloquistas.

  COMENTÁRIOS