A Opinião

"CTT são uma 'galinha dos ovos de ouro' para os acionistas"

Bagão Félix criticou, n'"A Opinião da TSF", o facto de os CTT distribuírem pelos acionistas "mais do dobro dos lucros que têm".

Os CTT - Correios de Portugal vão voltar a distribuir, este ano, 57 milhões de euros em dividendos, quando os lucros da empresa se ficaram pelos 27 milhões. Uma opção duramente criticada por Bagão Félix, no espaço de comentário semanal que ocupa na TSF, "A Opinião".

O economista critica o facto de a empresa ir distribuir pelos acionistas "mais do dobro dos lucros que tem", uma prática que, afirma Bagão Félix, tem sido recorrente desde a privatização dos CTT, em 2013.

O antigo ministro das Finanças afirma que esta prática é uma verdadeira "galinha dos ovos de ouro" para os acionistas, que, apesar de não ser ilegal, "fere a ética de uma empresa que presta um serviço público".

Bagão Félix lembra que dos 184 acionistas institucionais da empresa, 74% são estrangeiros e que, ao mesmo tempo que distribuem dinheiro por estes acionistas, os CTT fecham estações de correio e reduzem o quadro de pessoal.

"Não faz sentido", declarou Bagão Félix, que se questiona sobre onde está o "sentido de bem público" nesta gestão.

O economista deixa ainda críticas aos partidos políticos, por não se indignarem publicamente perante a situação dos CTT e alerta que, apesar de privatizada, a empresa deve continuar a ser escrutinada pelas instâncias públicas.