Execução Orçamental

Défice em setembro três mil milhões abaixo do limite

O défice nos primeiros nove meses do ano ficou três mil milhões de euros abaixo do limite imposto pela troika, e melhorou 900 milhões de euros em relação a setembro de 2012.

No final do terceiro trimestre, o défice ficou quase três mil milhões de euros abaixo do limite imposto pela troika, ou seja, 40 por cento abaixo do limite.

O saldo negativo das contas públicas foi de 4,3 mil milhões de euros, enquanto que o teto imposto pelo Fundo Monetário Internacional, Comissão Europeia e Banco Central Europeu era de 7,3 mil milhões de euros.

A despesa do Estado aumentou 5,3 por cento, devido às transferências para a Segurança Social, ao pagamento de pensões por parte da CGA e ao pagamento em duodécimos do subsídio de Natal, mas foi ultrapassada pelo crescimento das receitas.

A execução orçamental publicada pela Direção-Geral do Orçamento confirma a melhoria da receita fiscal avançada esta semana pela TSF.

Nos primeiros nove meses do ano, os impostos renderam ao Estado mais 7,5 por cento do que no mesmo período de 2012, ultrapassando a meta do Orçamento, que é de 6,8 por cento.

A receita fiscal cresceu mais de 15 por cento em setembro em relação mesmo mês do ano anterior.

São números sustentados por aumentos do valor arrecadado com quase todos os impostos.

Nos primeiros nove meses de 2013, a receita de IRS disparou mais de 30 por cento, graças ao enorme aumento de impostos de Vítor Gaspar.

O IRC rendeu mais 16 por cento do que nos primeiros três trimestres de 2012.

Entre Janeiro e Setembro, a receita de IVA desacelerou a queda: caiu 1,3 por cento face ao mesmo período do ano passado - variação que ainda assim resulta de um crescimento de mais de 5 por cento em setembro em relação ao mesmo mês do ano anterior.

  COMENTÁRIOS