A Opinião

Descontos dos Recibos Verdes devem ser pagos também pelos patrões

No comentário semanal na TSF, Francisco Louçã defendeu que os trabalhadores a recibos verdes devem repartir o desconto para a Segurança Social com as empresas.

Francisco Louçã considera que as propostas já conhecidas do Orçamento do Estado para 2018 trazem notícias positivas para os trabalhadores a recibos verdes. O economista dá como exemplo o facto de duplicar o limite da isenção do IVA (passa a 20 mil euros) e a isenção do IRS para os trabalhadores que recebem pouco acima do salário mínimo nacional.

Ainda assim, Francisco Louçã lembra que os trabalhadores por conta própria continuam a pagar a totalidade do desconto para a Segurança Social, 29,5%, e os empresários em nome individual pagam 34,75%.

O economista defende que o governo "tem absolutamente a obrigação de tratar as questões difíceis no tempo certo".

Francisco Louçã considera que o executivo tem criar "uma regra que permita que [os verdadeiros recibos verdes], descontando para a Segurança Social, repartem esse esforço com a entidade patronal e pagam cada mês em função de médias recentes para não pagarem a mais ou a menos".

Todas as sextas-feiras, depois das 9:00, na TSF, Francisco Louçã comenta os principais temas económicos.

  COMENTÁRIOS