Indústria Automóvel

Dezenas de trabalhadores da Renault em Portugal dispensados

A fábrica da Renault em Cacia, perto de Aveiro, não vai renovar os contratos a termo a 30 funcionários, comunicou a administração da empresa à Comissão de Trabalhadores. Uma dispensa que não deverá ficar por este número. Também na Autoeuropa mais de 200 trabalhadores contratados a agências de trabalho temporário vão parar durante um mês, sem direito a salário.

Adelino Nunes, da Comissão de Trabalhadores da Renault, confirma já ter recebido a informação de que 30 funcionários não vão ver o contrato renovado e adiantou à TSF que a administração admite dispensar mais pessoas.

«O número poderá ser infelizmente superior, mas esperemos que a situação no sector automóvel se altere e que não seja necessário chegar ao limite de mandar embora trabalhadores com contrato a termo incerto», afirma Adelino Nunes.

Por causa da crise no sector automóvel, esta manhã, ficou também a saber-se que mais de 220 trabalhadores da Autoeuropa contratados a agências de trabalho temporário vão parar durante um mês.

Como não estão abrangidos pelo acordo de empresa estes funcionários não terão direito a salário durante o período de paragem.

António Chora, da Comissão de Trabalhadores, afirma que a administração explicou numa reunião que decorreu, esta manhã, não ter outra alternativa.

«Esses trabalhadores estão a receber cartas das empresas de trabalho temporário a suspender o contrato com eles até ao fim da segunda semana de Janeiro», explica.

António Chora adianta ainda que a administração transmitiu a ideia de que pretende manter o maior número de trabalhadores temporários, embora a situação seja complicada devido à paragem de produção durante cerca de quatro semanas entre Dezembro e Janeiro.

  COMENTÁRIOS