Economia

EDP considera baixo o preço oferecido pela China Three Gorges

Em nota enviada à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, a elétrica nacional explica que o preço oferecido pela empresa chinesa na OPA "não reflete o valor" da empresa.

O Conselho de Administração da EDP considera que o preço oferecido pela China Three Gorges, de 3,26 euros por ação, "não reflete adequadamente o valor da EDP" e que o prémio implícito na oferta chinesa, de 4,8% face à última cotação antes da OPA (Oferta Pública de Aquisição), "é baixo considerando a prática seguida no mercado europeu" neste setor, "nas situações em que existiu aquisição de controlo pelo oferente".

Neste breve comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), o Conselho de Administração Executivo da EDP promete ainda "pronunciar-se em devido tempo sobre os demais termos da oferta" que serão dados a conhecer ao Conselho de Administração, nomeadamente "o detalhe relevante do Projeto Industrial".

O governo chinês também já se pronunciou sobre a OPA. O porta-voz do ministério dos Negócios Estrangeiros em Pequim diz não ver razões para terceiras partes se oporem ao negócio.

Em conferência de imprensa, Lu Kang salientou os laços amigáveis entre Portugal e a China, acrescentando que o governo chinês apoia e encoraja as empresas chinesas a encetarem uma cooperação mutuamente benéfica com as empresas portuguesas.

Na segunda-feira, primeiro dia de negociação na bolsa depois de lançada a OPA, a EDP chegou a subir quase 12%. No fecho da sessão, cada papel valia 3 euros e 40 cêntimos.