startups

Europa passa cheque de 180 milhões a empresas portuguesas inovadoras

A Comissão Europeia e o Banco Europeu de Investimento assinam esta terça-feira na Web Summit contrato com dois fundos de capital de risco.

Dois fundos de capital de risco vão gerir 180 milhões de euros para serem investidos em empresas portuguesas. Este valor, revelado à TSF pelo comissário Carlos Moedas sai de uma linha de financiamento de 2 mil milhões de euros que foi anunciado na Web Summit de 2016.

Agora na Web Summit de 2018 este financiamento torna-se uma realidade e o dinheiro vai ser "investido em empresas criadas em Portugal com pessoas portuguesas e isso dá-me orgulho como comissário estar aqui para ajudar o mais que posso aquele que é o meu país", sublinha Carlos Moedas.

O problema na Europa "não são as ideias, não é a criação de empresas. Nós temos muitas startup. O problema é que depois elas não conseguem ficar na Europa porque nós não temos o financiamento necessário para as fazer crescer na Europa".

Carlos Moedas pensa que "o que se passa hoje é que nós na Europa temos capacidade para investir 5 ou 10 milhões de euros mas depois quando essas empresas precisam de quantias de 50 ou 60 milhões de euros elas vão para os Estados Unidos ou outras partes do mundo. Nós temos tentado mudar esse paradigma investindo em fundo de capitais de risco."

Os fundos de capital de risco têm sido por isso uma "prioridade que eu tenho tido sempre desde o principio", destaca o comissário europeu.

Além deste financiamento às startup portuguesas a Comissão Europeia vai nesta Web Summit entregar, pela quinta vez, o prémio da mulher mais inovadora da Europa e o prémio da cidade mais inovadora da Europa; um prémio ao qual Portugal nunca se candidatou. Mas afinal, o que falta a uma cidade portuguesa para ser a mais inovadora da Europa?

"Eu acho que Lisboa tem toda a capacidade para chegar lá e para conseguir um dia ser a cidade mais inovadora da Europa. Eu acho que Lisboa merece", responde Carlos Moedas.

O Comissário pensa que "a Web Sumnmit está a transformar a imagem de Lisboa e de Portugal".

Carlos Moedas dá um exemplo: "Em 2014 quando comecei como comissário europeu as pessoas falavam-me de Portugal como o país de Ronaldo e da Amália mas agora as pessoas também falam da Web Summit".

Portugal está transformado um país de empreendedores e a "Web Summit é já uma marca portuguesa (num mundo global) criada por um irlandês e isso tudo faz parte desse novo mundo em que vivemos", conclui.

  COMENTÁRIOS