Economia

Greve nos portos pode custar até 10 milhões a produtores de cerveja

Pires de Lima, presidente da Associação Portuguesa de Cervejas, sublinhou que a greve nos portos está a afetar a indústria cervejeira, que tem uma forte componente exportadora.

Os produtores de cerveja podem perder até 10 milhões de euros em 2012 por causa da greve nos portos portugueses, diz o presidente da associação que representa estes produtores.

PUB

Ouvido pela TSF, António Pires de Lima frisou que esta greve «está a afetar de forma grave a indústria cervejeira», que «exporta parte substancial da sua produção, nomeadamente para África», para onde se espera que vá 40 por cento da produção.

«Esta greve pela sua duração compromete o envio de cerveja, precisamente num momento em que África se está a preparar para o verão», acrescentou Pires de Lima, que classificou esta paralisação de «inaceitável».

Para o presidente da Associação dos Portuguesa de Cervejas, caso esta greve continue o resultado poderá ser de menos 50 milhões de litros, pelo menos, em relação às previsões para os últimos três meses de 2012.

Pires de Lima, que falou como dirigente desta associação e não como dirigente do CDS, disse «não se querer substituir aos políticos», mas lembrou que está em causa o «interesse público e nacional quando se anunciam greves com esta duração».

Sem querer pôr em causa as reclamações dos estivadores que estão a fazer greve, Pires de Lima sublinhou que «são greves que têm um impacto público de tal forma substancial que acho que afetam o interesse nacional».