Teixeira dos Santos

Nacionalização do BPN não terá impacto «significativo» nas contas públicas

O ministro das Finanças, Teixeira dos Santos, afirmou esta terça-feira, no Parlamento, que a operação de nacionalização do Banco Português de Negócios (BPN) não deverá ter um impacto «significativo» nas contas públicas.

Teixeira dos Santos afirmou, na Comissão de Orçamento e Finanças, que «não é de esperar que haja aqui impactos significativos», referindo-se ao impacto orçamental com a operação do BPN.

«A nossa preocupação aqui é, de facto, fazer com que os eventuais custos sejam mínimos e, se possível, que não haja custos para os contribuintes que resultem desta operação», afirmou Teixeira dos Santos.

O ministro das Finanças declarou que o Banco de Portugal e a Caixa Geral de Depósitos já fizeram «uma injecção de liquidez» de 435 milhões de euros, um valor que Teixeira dos Santos disse ser «recuperável» por corresponder a créditos, quando foi questionado sobre o dinheiro que o Estado já gastou e poderá vir a gastar com esta operação.

O ministro que tem a pasta das Finanças esclareceu que o BPN tem fundos de tesouraria que aplica em vários bancos, a propósito do alegado investimento que a Segurança Social terá feito naquela instituição.

Notícias Relacionadas