Portugal

Passos Coelho: «Estamos na direção certa»

O primeiro-ministro disse continuar a acreditar que Portugal está «na direção certa», apesar das previsões que apontam para o agravamento da recessão.

Perante as estimativas de Bruxelas, o primeiro-ministro admitiu que Portugal não terá alternativa a não ser pedir um novo calendário para o cumprimento das metas orçamentais.

PUB

No entanto, Passos Coelho assegurou que não vê motivos para haver mais austeridade.

«Isso não significa aumentar o défice estrutural do Estado. significa não juntar mais austeridade àquela que é necessária para controlar o défice», afirmou.

Passos Coelho afirmou que, neste momento, o Governo tem dados que permitem afirmar que a estratégia é acertada.

«Se não contabilizarmos os juros da dívida pública, nós deveremos atingir um saldo estrutural positivo já este ano, sendo que, em 2012, teremos atingido um saldo estrutural primário de o,3 por cento. Isto significa que estamos na direção correta e de que não existe necessidade de alterar a trajetória que estamos a fazer», defendeu.