Ponte de Sor

Ponte de Sor ganha asas

Durante quatro dias, Ponte de Sor quer ser a capital mundial da aeronáutica. O presidente da câmara veio à Manhã TSF explicar que a ambição é bem medida.

Discutir o aeroporto do Montijo, a aeronáutica de lazer, a formação de pilotos, a utilização de drones em vários negócios, são apenas alguns do temas que vão ocupar os próximos quatro dias de debates e demonstrações em Ponte de Sor, o palco da primeira edição da Portugal Air Summit.

Entrevistado na Manhã TSF, Hugo Hilário, o presidente da câmara de Ponte de Sor justifica esta realização como consequência da aposta do concelho no cluster aeronáutico, em torno do aeródromo municipal. Entre outras vantagens económicas, Ponte de Sor está a ganhar em termos de emprego.

Nos últimos anos, a aposta no aeródromo municipal traduziu-se na "criação de 300 empregos". Ponte de Sor continua a ser uma terra onde a cortiça ocupa um papel essencial na economia. Mas os negócios do ar, têm ganho posição. E, por arrasto, já foi criado "o primeiro curso superior na história do concelho, através de uma parceria com o Instituto Politécnico de Setúbal".

No ano passado, foi à volta da escola de formação de pilotos de Ponte de Sor que a terra ocupou horas e páginas de notícias, com o caso da agressão dos filhos de um diplomata iraquiano a um jovem da terra. Um acontecimento que teve, apesar de tudo, algumas consequências positivas

Hugo Hilário, o presidente da câmara de Ponte de Sor, está esta quarta-feira na Manhã TSF.

Na abertura da Portugal Air Summit vai estar o ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques.

Para o próximo domingo, já depois de terminada a cimeira, está marcado o festival aéreo.