«Portugueses podem confiar no Banco Espírito Santo», garante Cavaco

Durante uma visita à Coreia do Sul e na primeira declaração que fez após a crise do BES, Cavaco Silva lembrou as garantias dadas pelo Banco de Portugal acerca desta instituição bancária e acredita que a haver efeitos virão da área não financeira do grupo.

O Presidente da República entende que os portugueses podem confiar no Banco Espírito Santo isto depois de Cavaco Silva ter recebido todas as garantias do Banco de Portugal.

«O Banco de Portugal tem sido peremtório e categórico a afirmar que os portugueses podem confiar no Banco Espírito Santo dado que as folgas de capital são mais que suficientes para cumprir a exposição que o banco tem à parte não financeira, mesmo na situação mais adversa», afirmou Cavaco Silva.

Na primeira declaração que fez após a crise do BES, o chefe de Estado considerou ainda que «de acordo com a informação que tenho do Banco de Portugal, considero que a atuação do banco e do governador tem sido muito correta».

Durante uma visita que está a fazer à Coreia do Sul, Cavaco Silva admitiu ainda que «haverá sempre alguns efeitos, mas penso que não vêm do lado do banco, vêm da área não financeira».

«Se alguns cidadãos e investidores vierem a suportar perdas significativas podem adiar decisões de investimento ou mesmo alguns deles podem vir a encontrar-se em dificuldades muito fortes», adiantou.

Por esta razão, acrescentou Cavaco, «não podemos ignorar que algum efeito pode vir para a economia real, por exemplo, em relação aqueles que fizeram aplicações em partes internacionais do grupo que estão separadas do banco em Portugal».

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de