Consumo

Quais os supermercados mais baratos? Novo ranking da Deco tem mudanças

O habitual levantamento da associação de consumidores sublinha que as cadeias de supermercados têm políticas de concorrência cada vez mais fortes.

Escolher o supermercado certo na hora de fazer as compras pode poupar aos portugueses, dependendo do distrito, entre 300 a 500 euros por ano. A conclusão é da Deco no último levantamento que procurou perceber quais os supermercados mais caros e mais baratos.

Depois de três anos de liderança do Jumbo, este ano o Continente ganhou vantagem no ranking feito pela associação de consumidores, seja nos produtos de marca ou de marca branca, apesar da vantagem não ser grande.

O coordenador do estudo, António Souto, explica que as promoções constantes e a guerra de preços estão a favorecer os consumidores.

Em vários casos analisados, basta andar algumas centenas de metros para poupar centenas de euros por ano.

A associação de consumidores recorda as promoções constantes das cadeias de supermercados, nomeadamente em bens como carne, peixe e legumes.

Para fazer este ranking, a Deco analisou mais de 46 mil preços e visitou quase 500 lojas em todos os distritos do país, criando cabazes de consumo com produtos de marca ou marca branca.

Nas contas da associação de consumidores, em Portugal continental, um cabaz de produtos para uma família média custa no Continente menos 5% do que no Jumbo e menos 12% do que no Intermarché ou Pingo Doce. O Minipreço e o Lidl apresentam preços 18% a 19% mais caros, em média, respectivamente.

Há, contudo, diferenças que podem ser relevantes conforme as regiões do país e o tipo de produtos habitualmente comprados por cada consumidor, o que leva a Deco a aconselhar uma visita ao site do estudo para que cada consumidor simule o seu cabaz habitual de produtos na zona onde faz compras.