Transportes Públicos

António Costa diz que redução dos preços dos transportes vai beneficiar 85% da população

O primeiro-ministro responde aos críticos e afirma que a diminuição dos tarifários não é exclusiva para as Áreas Metropolitanas de Lisboa e do Porto. "É um programa nacional", garante.

"Ao contrário do que muitas vezes tenho ouvido dizer, não é verdade que esta oportunidade de redução tarifária seja exclusiva de Lisboa ou do Porto, nem sequer destas áreas metropolitanas. Este programa é um programa nacional e ao qual, felizmente, aderiram todas as 23 comunidades intermunicipais (CIM)", destacou António Costa, esta segunda-feira, no encerramento da cerimónia de assinatura dos novos tarifários de transporte coletivo na Área Metropolitana de Lisboa.

PUB

Segundo o primeiro-ministro, em 18 destas comunidades intermunicipais haverá, já no próximo dia 1 de abril, redução nos tarifários dos respetivos títulos de transporte.

"Isto significa que, já no dia 1 de abril, 85% da população portuguesa poderá beneficiar desta redução de tarifários", assegurou o chefe do Governo

António Costa destacou, por outro lado, que esta redução de tarifas tem impacto do ponto de vista ambiental, mas também na disponibilidade do rendimento mensal dos portugueses.

"Se tivermos em conta que as reduções que vamos obter nesta Área Metropolitana de Lisboa são superiores muitas vezes num só mês ao aumento de quatro anos do Salário Mínimo Nacional, compreendemos bem o que é que esta medida significa para o aumento do rendimento disponível das famílias portuguesas", assinalou,

O primeiro-ministro, que no final da cerimónia não respondeu a perguntas dos jornalistas, salientou ainda as vantagens dos avanços já conseguidos na descentralização.

"A descentralização significou que o Estado aprovou uma verba global, um critério nacional na distribuição dessa verba, dando a cada comunidade intermunicipal e cada Área Metropolitana a liberdade de desenharem o seu próprio modelo de redução de tarifário", defendeu.

No próximo dia 29 de março, adiantou o primeiro-ministro, terá lugar a assinatura dos contratos para a redução tarifária na Área Metropolitana do Porto.

Passe único com preço de 40 euros para viajar entre concelhos

Os já anunciados passes únicos para as áreas metropolitanas vão ter custo de 30 euros para as deslocações que se verifiquem dentro dos municípios e de 40 euros para todas as deslocações entre concelhos distintos. Além da redução do tarifário, as crianças até aos 12 anos, inclusive, não vão pagar e cada família irá pagar, no máximo, o valor de dois passes, ou seja, 80 euros.

Antes de António Costa, o autarca da capital e presidente da Área Metropolitana de Lisboa, Fernando Medina sublinhou o "impacto económico, social e ambiental" da medida, tecendo rasgados elogios a António Costa.

O presidente da Câmara Municipal de Lisboa apontou ainda um objetivo: "Recuperar nos próximos dez anos o que perdemos em transportes coletivos nas últimas duas décadas, ou seja, aumentar a quota dos atuais 25% para os 45%".

Na cerimónia esteve ainda o ministro do Ambiente e da Transição Energética que garantiu que os utentes vão ter transportes públicos em número suficiente com a criação do passe único já em abril, salientando não estar preocupado com o aumento da procura.

"Estamos a cuidar do reforço da oferta em todo o país, particularmente nas empresas que dependem de nós. No dia 01 de abril, sendo necessário para fazer o serviço ideal da Soflusa seis navios, vão estar sete disponíveis, sendo necessário sete da Transtejo, vão estar nove disponíveis", disse João Pedro Matos Fernandes.

LEIA TAMBÉM:

- O passe único está a chegar à Grande Lisboa. E os transportadores estão preocupados

- Passe familiar único só chega em julho. Medina diz que há "questões técnicas" por resolver

  COMENTÁRIOS