Regresso das 35 horas: sem alternativas, escolas admitem cortar serviços

Novo horário de trabalho regressa na sexta-feira. Escolas e hospitais dizem que ainda não sabem como vão tapar o 'buraco' causado pela redução do horário de trabalho dos funcionários públicos.

A mudança acontece daqui a dois dias, mas os diretores de escolas e os administradores hospitalares admitem que desconhecem como vão resolver as falhas causadas pelo regresso das 35 horas de trabalho na função pública.

A Associação Nacional de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas pede mesmo ao Ministério da Educação um levantamento, urgente, para evitar "sobressaltos" no início do ano letivo.

Filinto Lima faz contas e diz que numa escola com 40 funcionários a perda de 5 horas no horário semanal significa, na prática, menos 5 funcionários.

00:0000:00

Por agora, sem aulas, a situação não é grave, mas se as escolas não forem reforçadas com mais funcionários, Filinto Lima diz que vai ser preciso aplicar um plano B, no início do ano letivo, e cortar em alguns serviços. Por exemplo, nos funcionários que estão nas bibliotecas.

A associação de diretores diz que com menos funcionários será preciso prejudicar alguns sectores. A decisão caberá à gestão de cada escola.

00:0000:00

Hospitais também admitem problemas

A Associação de Administradores Hospitalares também explica que até agora os hospitais não receberam instruções do governo sobre o que fazer para resolver os problemas causados pelas 35 horas.

Sem possibilidade de contratar ou aumentar as horas extraordinárias, o presidente da associação, Alexandre Lourenço, explica que os maiores problemas estão relacionados com os enfermeiros e assistentes operacionais.

Administradores esperam que o diálogo com os profissionais mantenha o nível de serviços actualmente prestado pelos hospitais.

00:0000:00

Alexandre Lourenço admite, contudo, que não vai ser fácil e lamenta que não seja possível contratar a tempo do arranque da semana de 35 horas para quem trabalha no Estado.

Se nada mudar, os administradores hospitalares admitem problemas "pontuais" na prestação de cuidados.

00:0000:00

.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de