Regulador defende que preços dos combustíveis em Portugal têm evoluído normalmente

A Galp revelou no início da semana um crescimento de 71,5% nos lucros devido ao aumento das margens de refinação. Entidade que fiscaliza o setor avalia os números e defende que o fenómeno é internacional.

A Entidade Nacional para o Mercado de Combustíveis (ENMC), responsável pela fiscalização do setor e da evolução dos preços nas bombas de gasolina, admite que a Galp tem lucrado com a descida do preço do petróleo e o aumento das margens de refinação, mas sublinha que esse fenómeno está em linha com a média europeia.

O jornalista Nuno Guedes ouviu o presidente do regulador dos combustíveis

00:0000:00

Os resultados de 2015 da Galp, única empresa com refinarias em Portugal, foram conhecidos na segunda-feira e dispararam para 639 milhões de euros. Números que levantaram críticas, nomeadamente do PCP que falou em lucros "escandalosos" que revelaram "uma absorção quase integral das margens resultantes da baixa do preço do petróleo em benefício dos acionistas da empresa".

À TSF, o presidente da ENMC admite que a Galp conseguiu triplicar as suas margens de refinação à custa da queda do preço do petróleo. Paulo Carmona explica, contudo, que esta evolução é normal e tem ocorrido, também, noutros países, pois a relação entre preço do petróleo e preço da gasolina ou gasóleo não é, naturalmente, direta.

O presidente da ENMC acrescenta que "os refinadores aproveitaram a queda do preço do petróleo, mas é isso que acontece normalmente em todos os mercados quando a matéria-prima desce, permitindo um aumento das margens". Paulo Carmona fala numa evolução "generalizada a todo o mundo: as refinarias não ganhavam tanto dinheiro desde o início do século".

Tal como em Portugal, os números da ENMC mostram que nos mercados internacionais os preços dos combustíveis não têm diminuído tanto como o petróleo.

É verdade que a Galp tem as únicas refinarias do país, mas Paulo Carmona diz que se os preços que a empresa pratica nas vendas a outras petrolíferas fossem muito elevados estas podiam importar gasolina ou gasóleo do estrangeiro.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de