SINTAC

Ryanair e GroundLink com pré-aviso de greve parcial de três meses

Pré-aviso vigora das 00h de 16 de abril às 23h59 de 15 de julho.

O Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Aviação Civil (SINTAC) lançou um pré-aviso de greve parcial que pode vier a afetar a Ryanair e a GroundLink, empresa que faz o check-in de passageiros.

PUB

Caso se concretize, esta greve parcial terá a duração de três meses, com início às 00h00 de 16 de abril e pode arrastar-se até às 23h59 de 15 de julho.

O período de greve é de duas horas por dia, no início e fim de cada turno, e abrange todo o trabalho suplementar, exceto em feriados.

Fernando Simões, do SINTAC, denuncia "fortes pressões" e deixa várias críticas à administração da Ryanair. Em declarações à TSF, explica que a empresa não aplica de forma equitativa a distribuição de turnos pelos vários trabalhadores.

"Há pressões brutais e intimidação aos trabalhadores por fazerem greve. Dão informações erradas aos trabalhadores sobre como proceder em greve e, com isto, tentam lança-los em abandonos de serviço", explica o sindicalista.

Fernando Simões explica que um representante da empresa em Portugal esteve "na escala de Faro, que tem muitos part-times" e, portanto, "pessoal com menos anos de casa e mais receio nestas situações" para lhes dizer que "tenham cuidado, vejam o que vão fazer na greve e pensem nas repercussões".

O representante dos trabalhadores garante que esta situação abrange as duas empresas.

  COMENTÁRIOS