"Somos todos Adalberto"

Ministro das Finanças defende política do Governo para a Saúde, afirmando que este foi o setor com o maior crescimento orçamental neste ano.

Num raro momento de descontração na audição conjunta de Mário Centeno nas comissões parlamentares de Saúde e de Finanças, esta quarta-feira, o ministro afirmou, provocando gargalhadas em todas as bancadas, que "somos todos Adalberto", invocando o nome do ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes.

Há cerca de duas semanas, Adalberto Campos Fernandes rejeitou a ideia de divisões no Governo entre os ministérios da Saúde e das Finanças, proferindo, no parlamento, a frase "Somos todos Centeno".

O governante sustentou que a saúde foi "o setor da administração pública que teve o maior aumento orçamental neste período".

Antes, Centeno sublinhou as contratações para o Serviço Nacional de Saúde, explicando que nos últimos três anos, entraram para o SNS 8.480 trabalhadores (mais 7,6%): foram mais 3.926 enfermeiros, 2.795 médicos, 460 técnicos de diagnostico e 778 assistentes operacionais.

O ministro anunciou ainda que a quase totalidade (98%) das faturas identificadas no âmbito do processo de regularização dos pagamentos em atraso no setor já foram pagas. Centeno afirmou que do total de 1.400 milhões anunciados no Orçamento para este fim, 900 milhões já foram concretizados.

O governante assegurou ainda que o problema na ala pediátrica do Hospital de São João vai ser resolvido no âmbito de um projeto maior, mas não avançou datas para a execução da obra.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de