Lusoponte garante que já pagou manutenção da ponte. Dizer o contrário "é treta"

Em entrevista à TSF, Ferreira do Amaral reage às críticas e afirma que empresa pagou de forma adiantada custos de manutenção previstos no primeiro contrato.

O presidente da Lusoponte garante que não faz qualquer sentido a polémica levantada na última semana sobre o pagamento, pelo Estado, das obras na Ponte 25 de Abril. Joaquim Ferreira do Amaral adianta que a empresa não paga nada porque já o fez há quase 20 anos.

O antigo ministro das Obras Públicas no governo de Cavaco Silva adianta que de facto a renegociação do contrato feita no tempo dos executivos de António Guterres tirou à Lusoponte a obrigação de pagar anualmente um valor elevado para a manutenção da ponte.

No entanto, essa revisão teve uma contrapartida: a Lusoponte abdicou do dinheiro que o Estado lhe devia pois seria, defende Ferreira do Amaral, "absurdo receber essa prestação anual para a manutenção para depois o Estado pagar aquilo que devia à Lusoponte...".

Na prática, garante o líder da Lusoponte, "o que se pode dizer é que a Lusoponte já pagou a manutenção como estava previsto no contrato inicial porque esse acerto de contas foi feito tendo em conta a dívida do Estado perdoada, mesmo que o dinheiro da manutenção não tenha sido pago da forma que estava inicialmente previsto".

Ferreira do Amaral estranha tanta polémica quase 20 anos depois do acordo que reviu o contrato de concessão da ponte e defende que o acordo foi "razoável e esclarece esta treta de dizer que a Lusoponte não paga a manutenção pois claro que paga... pagou-a de acordo com o que estava no contrato inicial".

Sobre as críticas ao facto de Ferreira do Amaral estar agora na Lusoponte depois de ter sido o ministro das Obras Públicas, o presidente da empresa diz que "é uma crítica de má-fé", sublinhando que "entre sair do governo e entrar na Lusoponte passaram mais de 12 anos".

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de