Maior crescimento da economia portuguesa deve-se a fatores externos

N'"A Opinião" da TSF, Manuela Ferreira Leite defendeu que Portugal tem potenciar o crescimento económico com "medidas próprias", e não ficar dependente de condições exteriores.

No espaço de comentário que ocupa semanalmente na TSF, "A Opinião", Manuela Ferreira Leite procurou explicar o motivo que leva a agência de rating Moody's a não alterar a classificação de Portugal, que continua ser encarado como "lixo", embora reconheça que a execução orçamental superou as expectativas.

A economista nota que a agência tem dúvidas quanto à sustentabilidade a longo prazo dos resultados económicos de Portugal. Manuela Ferreira Leite afirmou compreender a decisão da Moody's de esperar para ver o que reserva o próximo Orçamento do Estado.

A antiga ministra das Finanças diz que aquilo que levou a economia portuguesa a crescer mais do que o esperado foram as exportações (com especial incidência para o Turismo), as baixas taxas de juro e a manutenção do preço do petróleo. Circunstâncias que, sublinha Ferreira Leite, não dependem de Portugal, mas de condições externas.

Se Portugal quer, finalmente, sair do "lixo", tem de "consolidar o crescimento económico com medidas próprias", que passem pelo investimento nas empresas, defendeu Manuela Ferreira Leite.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de