Moody's tira Portugal do lixo

A agência de rating americana era a única que ainda colocava Portugal em nível especulativo. Apesar dos elogios, avisa que o aumento dos salários no Estado coloca pressão sobre as contas públicas.

Pela primeira vez desde o resgate da Troika, todas as grandes agências de rating colocam Portugal fora do lixo. A Moody's, a mais resistente a uma subida de nível, decidiu esta sexta-feira subir a nota para "Baa3", sinalizando que aconselha o investimento em dívida portuguesa. A perspetiva é agora estável, ou seja, não é esperada outra subida nos próximos meses.

Até aqui, a Moodys avaliava Portugal em "Ba1" (nível especulativo), com perspetiva positiva.

Na nota em que explica a decisão, a Moody's realça que a dívida portuguesa "passou para uma tendência sustentável, apesar de gradual, com riscos limitados de reversão".

A agência reconhece que parte das melhorias nas contas públicas nos últimos anos foram alcançadas à boleia de "condições cíclicas favoráveis", mas sublinha que o ajustamento orçamental também "foi estrutural", o que "favorece uma queda acentuada do fardo da dívida".

No entanto, a Moody's alerta para os constrangimentos permanentes que persistem na economia e avisa que a consolidação orçamental "vai encontrar ventos adversos face à pressão que existe para aumentar os salários aos funcionários públicos e recuperar dos cortes significativos no investimento".

A Moody's destaca ainda "o progresso feito na reestruturação de alguns dos bancos mais fracos", o que terá permitido "reduzir os riscos orçamentais colocados pelo setor bancário".

Este ano, a agência norte-americana já teve uma outra oportunidade para rever a avaliação do país, em abril, mas preferiu adiar a decisão para verificar se as melhorias económicas, orçamentais e da dívida seriam sustentáveis.

DBRS mantém rating

Antes da decisão da Moody's, a canadiana DBRS, a quarta maior agência de rating mundial, fez saber que manteve o 'rating' atribuído a Portugal em 'BBB', com perspetiva estável.

A DBRS nunca chegou a colocar a dívida portuguesa no patamar de "lixo", o que permitiu ao país ter acesso a financiamento do Banco Central Europeu durante o período de resgate.

A caminhada de Portugal para sair do "lixo"

Há um ano, a Standard & Poor"s surpreendeu o mercado, tornando-se na primeira grande agência de rating norte-americana a retirar a avaliação de Portugal de "lixo" desde que o país foi alvo de resgate.

Também a Fitch já subiu Portugal para o "nível de investimento", no final do ano passado.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de