Novo Banco é o quarto a juntar-se à lista dos aumentos nas comissões

Muitos clientes nem reparam nos avisos dos bancos. Associação de consumidores estranha tantas subidas em época de férias.

Depois da polémica à volta dos aumentos conhecidos em julho na Caixa Geral de Depósitos, o Novo Banco (antigo BES) escreveu nas últimas semanas aos clientes a avisar de novas "alterações no preçário das Contas de Depósito à Ordem.

Além da CGD, o Novo Banco é um de três bancos que nos últimos meses subiram os custos cobrados aos clientes. Os outros, segundo a DECO, são o BPI e o EuroBic, com aumentos que entraram em vigor em julho e agosto. O economista da associação de consumidores, Nuno Rico, adianta que é estranho tantos aumentos numa época de férias em que os clientes estão, naturalmente, menos atentos.

A DECO contesta, aliás, que quase sempre os bancos avisem os clientes destas subidas de preços apenas por mensagem na banca online do consumidor ou via e-mail, abdicando, quase sempre, da carta. Nuno Rico sublinha que na "onda" de e-mails de empresas que recebemos é normal que nem reparemos em mensagens como estas.

Por exemplo, na mensagem enviada este mês aos clientes do Novo Banco é explicado que o aumento entra em vigor a 1 de novembro e que caso não esteja de acordo o contrato pode ser cancelado "sem qualquer custo" antes dessa data. "Caso contrário, estas alterações serão consideradas aceites".

No Novo Banco os aumentos são vários, mas o mais relevante talvez seja o que envolve a isenção de custos nos depósitos à ordem normais que antes era dada a quem tinha mais de 5 mil euros no banco e agora vai aplicar-se, apenas, a quem tem 35 mil euros (sete vezes mais).

No EuroBic e BPI a associação de consumidores também garante que os aumentos foram significativos e limitam cada vez mais a busca por bancos com comissões nulas ou baratas. O economista da DECO admite que é normal que com os aumentos das comissões cobradas pela Caixa Geral de Depósitos outros bancos sigam o mesmo caminho, nomeadamente porque ganham margem para o fazer (sem perder clientes) tendo em conta que a Caixa é o banco com mais quota de mercado.

Subidas quase em paralelo na banca que levam a que seja cada mais difícil aos portugueses fugirem das comissões bancárias que não têm parado de subir nos últimos meses e anos. A DECO estranha bastante que os preçários cobrados no cinco maiores bancos portugueses (com 80% do mercado) sejam muito parecidos, algo que não será sinal de uma grande concorrência.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de