O avião comercial do futuro chegou. E Portugal é o primeiro a tê-lo

A TAP Air Portugal é a primeira companhia aérea do mundo a receber o novo Airbus A330neo, que começa a viajar já a partir do próximo mês.

Para um mero passageiro, um leigo que o vê de fora, parece apenas mais um avião. Um pouco maior, sim, mas uma aeronave semelhante a todas as outras. É só quando entramos no novo Airbus A330neo que percebemos as diferenças.

O enorme espaço disponível é a primeira coisa que salta à vista. Não tem duas, mas três grandes filas de assentos. Imensos lugares distribuídos por três classes, cada uma mais confortável (e pomposa) que a outra.

Os assentos - que (percebe-se depois) podem ser transformados em camas, já que se inclinam totalmente para trás, de modo a permitir ao passageiro que se deite - estão rodeados de ecrãs por todos os lados (pode até questionar-se quem precisa de tantos visores de uma só vez).

Há espaço para comer, para ler, e tudo na maior das privacidades, com subtis divisórias entre os lugares dos vários passageiros.

Quando nos levantamos para fazer uma pequena visita à casa de banho e, depois, lavamos as mãos, a surpresa está numa torneira inteligente, que liga e desliga sozinha, sem que seja preciso tocar-lhe.

Este avião que parece igual aos outros tem, afinal, muito que se lhe diga. A TSF esteve a bordo do novo Airbus A330neo e conta-lhe o que esperar da mais recente aquisição aeronáutica portuguesa.

É espaçoso

O avião que agora chega a Portugal dispõe de 298 lugares (com a cabine dividida em três classes: 34 lugares em "full-flat" - significa que pode, literalmente, deitar-se na sua cadeira para fazer uma sesta - em executiva; 96 lugares na classe económica plus e 168 na classe económica). Pode, no entanto, esticar a capacidade até aos 440 passageiros.

Além do espaço para os viajantes, há também mais espaço para as malas, com armários de maior capacidade para arrumar toda a bagagem de mão.

Combate o jetlag

Dizem que é uma "iluminação de cabine inovadora". Certo é que o avião conta com 16,7 milhões de cores diferentes de luzes, sendo possível escolher variados cenários de luz, para simular diferentes períodos do dia (imitar desde a luz do dia, à luz de um pôr do sol natural).

O avião conta também com uma cabine de voo ultra silenciosa. O objetivo de tudo isto? Reduzir o cansaço e a sensação de jetlag dos passageiros, durante os voos mais longos.

Mas porque também a tripulação tem direito a descansar, o avião dispõe de dormitórios no nível inferior (sim, há mesmo uma "cavezinha" com camas, onde os tripulantes de bordo podem dormir).

Não deixa ninguém aborrecer-se

O Airbus A330neo oferece sistemas de entretenimento e conectividade de última geração, com vídeo de alta definição, capacidade 3D e ecrãs táteis. Basicamente, sim, podemos ver os filmes que quisermos, com a maior qualidade possível.

É amigo do ambiente

Comparado com os últimos modelos semelhantes, o avião reduz em 25% o consumo de combustível, por cada lugar. Feitas as contas, permite uma redução das emissões de CO2 que pode chegar aos 14,2%.

O avião é produzido pela Airbus, a líder global na indústria aeronáutica e espacial, que se associou à Rolls-Royce, para o desenvolvimento de motores de última geração.

A empresa vai fornecer à TAP 21 aviões, dos quais pelo menos dois estarão operacionais até ao final deste ano. Os outros chegarão durante 2019.

Antonoaldo Neves, presidente da TAP, falou num "dia incrível para a TAP e para Portugal", durante a cerimónia de entrega do avião à companhia portuguesa, que aconteceu, esta segunda-feira, no Centro da Airbus em Toulouse, França.

A companhia, da qual o Estado português é o maior acionista (com 50% do capital), não divulgou o custo deste investimento, mas, só para ter uma ideia próxima, o preço médio do último modelo da Airbus, o A330-900, é de 296,4 milhões de dólares (qualquer coisa como 261,2 milhões de euros).

A primeira viagem do Airbus A330neo só vai acontecer a 15 de dezembro e terá como destino o Brasil.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de