Patrões querem plano nacional para conciliar trabalho e família

O apelo é da Confederação Empresarial de Portugal (CIP), que quer levar o tema à concertação social. O presidente da CIP lembra que as novas formas de emprego trazem desafios a que o Estado ainda não deu resposta.

Conciliar família e emprego é uma equação difícil que é preciso simplificar e a solução pode passar por várias medidas como, por exemplo, horários mais flexíveis ou trabalho a tempo parcial. A conclusão consta do estudo "Desafios à Conciliação Família-Trabalho" da Confederação Empresarial de Portugal (CIP), elaborado pela Nova School of Business and Economics, com o apoio da Associação Cristã de Empresários e Gestores, a que a TSF teve acesso.

Ouvido pela TSF, o presidente da CIP, António Saraiva, lembra que as novas formas de trabalho trazem desafios a que o Estado ainda não deu resposta: "Falta uma estratégia nacional sobre este facto, porque as relações de trabalho, a nova forma de trabalho, os novos postos de trabalho, as novas realidades como a robótica, o teletrabalho, precisam ser analisados num diálogo social construtivo para o nosso desenvolvimento."

O presidente da CIP lembra que o binómio família-trabalho tem impacto direto no desenvolvimento económico e social e considera que o Governo deve fazer mais para promover a vida familiar e profissional dos trabalhadores.

"Isto implica obviamente que o Governo tenha políticas públicas que, agregadas às estratégias empresariais e ao acompanhamento por parte das entidades sindicais, na sua representação dos trabalhadores, para encontrar as melhores soluções para que sejam incorporadas na contratação coletiva e nas relações de trabalho ao nível das empresas", nota António Saraiva.

O representante dos patrões quer ver o tema debatido em sede de concertação social e acredita que as empresas estão preparadas para a mudança: "Além de diversificarem e inovarem produtos e serviços, [as empresas] também estão a inovar nos métodos de gestão de recursos humanos e nessas práticas. Já foi mais difícil no passado, hoje as empresas mais facilmente vão adotando estas práticas."

O assunto vai ser debatido esta segunda-feira na conferência "Desafios à Conciliação Família-Trabalho", onde vão ser apresentados casos de empresas portuguesas que já aplicam medidas para promover a relação da vida familiar e profissional dos colaboradores.

O evento vai decorrer no campus da Universidade Nova de Lisboa, em Carcavelos, e terá a participação do ministro do Trabalho e da Segurança Social, Vieira da Silva.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados