Portugueses não merecem viver num de Estado de servidão fiscal - Pires de Lima

Questionado sobre se haverá um aumento de impostos em consequência do chumbo de três normas do Orçamento do Estado o ministro da economia lembra que as famílias, a economia e as empresas não suportam mais impostos.

O ministro da Economia considera que os portugueses não merecem viver num Estado que as submeta a uma servidão fiscal e sublinha que a recuperação da economia portuguesa não precisa de mais impostos neste momento.

Questionado sobre se haverá aumentos de impostos em consequência da decisão do Tribunal Constitucional, que chumbou três normas do Orçamento do Estado, António Pires de Lima afirmou: «Acho que os portugueses não merecem viver num Estado que, de forma permanente e sem sinais de esperança, as submeta a uma servidão fiscal».

O ministro, que falava aos jornalistas à margem da conferência "Internacionalização das Economias" dos países no espaço lusófono, organizado pela AICEP, acrescentou que «a economia, as empresas não suportam mais impostos, eles podem pôr em causa este esforço de recuperação económica que estamos a sentir».

Também «as famílias não merecem pagar mais impostos, acho que merecem viver num país que não os submeta, ainda por cima, de uma forma permanente, a um estado de servidão fiscal», apontou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de