Santa Casa lança programa de emprego para pessoas com deficiência

As receitas dos jogos sociais da Santa Casa superaram, pela primeira vez, a barreira dos 3 mil milhões de euros, em 2017. O provedor da instituição explica como são utilizadas as verbas.

A Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML) tenciona lançar, ainda este ano, um programa de apoio ao emprego para pessoas com deficiência. Edmundo Martinho, provedor da SCML, revelou que a instituição "está a trabalhar com a ONCE espanhola [Organização Nacional de Cegos de Espanha] no sentido de vir a criar no país um programa de empregabilidade para as pessoas com deficiência".

"Em Portugal temos um défice tremendo desse ponto de vista e queremos criar uma entidade que seja um apoio permanente ao emprego de pessoas com deficiência, mas ao emprego no mercado regular, não um emprego protegido", explicou Edmundo Martinho.

O projeto pretende investir na formação e criar parcerias com empresas portuguesas para que as pessoas com deficiência possam "candidatar-se a um emprego como qualquer outra pessoa, obviamente levando em conta aquilo que possam ser as capacidades instaladas que tenham".

O provedor da SCML detalha que a instituição quer "suscitar a adesão das empresas, não na perspetiva do apoio às pessoas com deficiência, mas no sentido de dar a estas pessoas acesso a um direito, que é o direito ao trabalho".

Edmundo Martinho revela que "ainda é um projeto, não está ativo", acrescentando que "já se fizeram um conjunto de reuniões, quer com as organizações que representam as pessoas com deficiência em Portugal quer com quem fora do país já tem experiência neste domínio, como a fundação ONCE".

A SCML ainda não tem data para lançar o projeto mas o provedor revela que "gostava de que, enfim, no aniversário da Santa Casa [15 de agosto] pudéssemos ter alguma coisa de concreto. Temos uma grande ambição em relação a este projeto".

Pessoas & Causas

A Santa Casa da Misericórdia de Lisboa está a comemorar 520 anos. Para celebrar a data, a TSF e o Diário de Notícias juntam-se à instituição para uma rubrica semanal.

A instituição tem mais de meio milénio de histórias por contar, mas a TSF vai partilhar, nos próximos meses, casos reais de pessoas que mudam vidas e as histórias das vidas que foram mudadas por causa de um apoio, uma bolsa ou um prémio da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.

O "Pessoas e Causas" traz à rádio casos reais de quem está ligado à Santa Casa. Uma história nova todas as sextas-feiras, numa parceria entre o DN, TSF e Santa Casa - de abril a junho, e depois de setembro a novembro.

Grande parte do financiamento que sustenta estes projetos vem dos lucros dos jogos sociais, uma tradição que começou com a Lotaria Nacional, ainda no século XVIII.

Todos os anos a Santa Casa recebe 27,77% dos resultados líquidos de exploração de jogos como o Euromilhões, a Raspadinha e o Placard, conforme definido por lei, o que em 2016 representou cerca de 200 milhões de euros. Nesse mesmo ano, o último com relatório e contas disponível (o de 2017 será apresentado em breve), as despesas totalizaram 199,7 milhões de euros, com predomínio da ação social (56%) e da saúde (25%).

Mas além destas áreas a Santa Casa dá ainda bolsas de estudo a atletas, numa parceria com os comités olímpico e paralímpico, bolsas artísticas e prémios de empreendedorismo e inovação e ciência. São essas as histórias que vamos conhecer.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados