Novas tabelas de retenção do IRS. No máximo são mais 12 euros na carteira

Estão aí as tabelas de retenção IRS para 2019. Em 14 escalões de retenção na fonte fica tudo na mesma.

As alterações na tabela de retenção de IRS para 2019 só acontecem, no caso de um casal onde os dois trabalham, nos rendimentos brutos mensais até aos 3094 euros. Ou seja, os contribuintes que estão dentro dos 22 primeiros escalões de retenção na fonte têm uma melhoria do rendimento mensal disponível mas isso não ultrapassa os 12 euros.

Pelo contrário, não há qualquer alteração para um casal (com um filho) que receba mais de 3095 euros.

O quadro seguinte é um resumo da situação para contribuintes casados onde os dois trabalham e têm um dependente (filho).

Com base neste quadro comparativo podemos ver que uma família que tenha como rendimentos do salário (bruto) 2760 euros desconta este ano para o IRS 756,24 euros contra os 767,28 euros do ano passado (mais 11 euros).

Estes são valores das tabelas de retenção mensal do IRS. O cálculo final do imposto só é feito depois de entregue a declaração anual que inclui as deduções à coleta.

Assim a partir de hoje os recursos humanos das empresas podem começar a processar os salários com as tabelas de retenção na fonte do IRS que saíram no Diário da República esta sexta-feira. Estas tabelas têm efeitos retroativos a 1 de janeiro nos casos em que já não há tempo para as refletir nos salários e pensões a pagar este mês.

Com as novas tabelas, o limite de isenção de retenção de IRS aumenta para 654 euros brutos por mês em 2019, quando no ano passado tinha sido de 632 euros.

No ano passado, as remunerações e pensões superiores a 632 euros brutos mensais ficaram sujeitas a retenção de IRS.

De acordo com um comunicado do Ministério das Finanças, um "fator que concorre para a atualização das tabelas de 2019 é a correção das situações dos rendimentos em que a retenção na fonte deixava os contribuintes com rendimento líquido disponível anual inferior ao mínimo de existência", que passou para 9150,96 euros.

"O terceiro fator tido em consideração no ajustamento das tabelas de retenção de 2019 prende-se com a situação dos contribuintes com rendimentos da categoria H (pensionistas) e com dependentes a cargo, os quais, ao contrário dos contribuintes titulares de trabalho dependente, não viam consideradas nas tabelas de retenção esta realidade. Assim, foi introduzido um fator de correção a aplicar às tabelas dos pensionistas de 0,5 pontos percentuais por cada dependente", explica o gabinete de Mário Centeno.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de