TAP. Governo quer tudo resolvido "num prazo de três meses"

O Governo quer concluir até ao final do verão o processo de compra e venda de ações da TAP. O ministro do Planeamento e das Infraestruturas garante que ninguém ficou a perder ou a ganhar com o acordo.

O ministro Pedro Marques e o empresário Humberto Pedrosa, do consórcio Gateway, explicaram esta manhã os detalhes do acordo que assinaram ontem, um dia antes do limite do prazo.

O Governo vai pagar 1,9 milhões de euros para o Estado ficar com 50% da TAP, em vez de 34% como previa o acordo anterior, resultado das negociações com o consórcio Gateway, que tinha 61% do capital da companhia e que agora fica com 45%, podendo chegar aos 50%, com a aquisição do capital à disposição dos trabalhadores.

O ministro do Planeamento e das Infraestruturas diz que este acordo representa a estabilização definitiva da companhia aérea e espera fechar todo o processo "num prazo de três meses, embora o assunto esteja dependente da aprovação de terceiros", o processo "de recapitalização continua em junho e o Estado irá subscrever 30 milhões do empréstimo obrigacionista".

O ministro Pedro Marques espera fechar todo o processo até ao final do verão

00:0000:00

O negócio tem de ser confirmado pela Autoridade da Concorrência. O ministro do Planeamento sublinha que ninguém ficou a perder ou a ganhar com o acordo.

Ao lado do ministro na conferência de imprensa, Humberto Pedrosa, representante do consórcio Atlantic Gateway, sublinhou que "a participação do Estado na companhia vai dar um conforto diferente à banca", acrescentando que assim será "muito mais fácil" uma reestruturação da dívida.

O ministro do Planeamento afirma que ninguém perdeu ou ganhou com o acordo

00:0000:00

Sobre a entrada da transportadora chinesa Hainan, Humberto Pedrosa explicou que "a HNA, que vai entrar no capital da Azul que subscreveu obrigações da TAP convertíveis em ações, entra também no capital social da Atlantic Gateway com 7%. A HNA terá uma participação indireta na TAP de 13% com a conversão das obrigações por parte da Azul que, somando aos 7% de que falei, poderá chegar aos 20%".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de