Turismo dos Açores "bateu todos os recordes" com liberalização dos voos

As companhias low cost começaram a voar entre o continente e a ilha de São Miguel há um ano. Os empresários do arquipélago dizem que ainda "há potencial para crescer muito".

As companhias low cost começaram a voar entre o continente e a ilha de São Miguel há um ano. Os empresários dizem que ainda "há potencial para crescer muito". Para o Governo Regional, o setor do Turismo "inspira confiança".

O jornalista Joaquim Ferreira foi perceber o que mudou um ano depois dos voos 'low cost' para os Açores

00:0000:00

No ano passado, segundo a Secretaria Regional do Turismo desembarcaram nos aeroportos do arquipélago cerca de 1 milhão e cem mil pessoas, mais 21 % do que no ano anterior. O número de dormidas aumentou 22% de 2014 para 2015.

Vítor Fraga, Secretário Regional do Turismo, afasta um risco. O turismo de massas não vai aterrar no arquipélago; "somos um destino de natureza. As pessoas que nos visitam são ambientalmente conscientes".

Este ano deverão abrir novos empreendimentos turísticos, haverá cerca de 650 novas camas. Para o Secretário Regional Vítor Fraga isso demonstra que o "turismo dos Açores inspira confiança nas entidades privadas. As intenções de investimento surgem diariamente".

A liberação dos voos faz parte, segundo o Governo Regional de um novo modelo de acessibilidades que conjuga as rotas liberalizadas e as que estão sujeitas a obrigações de serviço público e isso acabou por beneficiar as nove ilhas do arquipélago.

O presidente da Câmara do Comércio e Indústria dos Açores, Mário Fortuna disse à TSF que em 2015 "bateram-se todos os recordes de afluência turística", mas ainda "há potencial para crescer muito". Para isso será necessário algum investimento público porque algumas infraestruturas, "como miradouros", já demonstram dificuldade para responder ao aumento da procura.

Segundo Mário Fortuna o "setor privado tem tido uma reação surpreendente. O alojamento local cresceu 86%. Houve uma explosão de novas formas de alojamento".

Diogo Caetano, presidente da Associação Ecológica "Amigos dos Açores" diz que "não foram identificadas consequências nefastas" para o ambiente resultantes do crescimento do turismo. Admite que isso aconteça no futuro se houver "uma pressão continuada". Para evitar custos ambientais, Diogo caetano sugere a possibilidade de serem impostas algumas limitações no acesso a zonas mais sensíveis.

Atualmente, há voos da Ryanair e da easyJet entre o continente e Ponta Delgada. As duas companhias low cost juntaram-se à TAP e à SATA.

O Governo Regional não se compromete com uma data para o inicio das viagens low cost entre o continente e a ilha Terceira.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de