Volkswagen corta 30 mil postos de trabalho até 2020

Os trabalhadores da Autoeuropa dizem estar "tranquilos". A notícia foi avançada, esta sexta-feira, por um jornal alemão.

O jornal Handelsblatt que diz que a maior parte dos cortes, dois terços, vai acontecer em fábricas alemãs. O objetivo da Volkswagen é poupar quase quatro mil milhões de euros. O conselho de vigilância da Volkswagen reúne-se hoje para aprovar o plano de investimentos. A poupança afetará principalmente as fábricas no norte da Alemanha.

António Chora, coordenador da Comissão de Trabalhadores da Autoreuopa diz que a administração da empresa ainda não comunicou qualquer decisão aos funcionários e sugere que o assunto seja encarado com tranquilidade.

António Chora apela à tranquilidade

00:0000:00

Sobre os 273 trabalhadores portugueses, quadros da Autoeuropa, que foram requisitados por uma fábrica na Alemanha, António Chora diz não devem ter receio do que vier a acontecer.

António Chora fala sobre trabalhadores que foram para a Alemanha

00:0000:00

A Volkswagen admitiu, no último ano, que tinha equipado milhões de carros, movidos a gasóleo, vendidos em todo o mundo, com aparelhos que reduziam o óxido de nitrogénio durante os testes das emissões poluentes, mas que depois, em condições habituais de condução, permitiam que as emissões superassem em mais de 40 vezes os limites autorizados.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados