Presidenciais 2016

Sampaio da Nóvoa: "Marcelo só gosta de se ouvir a si próprio"

Numa crítica ao candidato presidencial que surge melhor colocado nas sondagens, o também candidato, Sampaio da Nóvoa disse que "quem faz uma campanha autossuficiente e sem ouvir ninguém" não dá garantias de que "chegado a Belém", esteja disponível para "ouvir quem quer que seja".

Sampaio da Nóvoa apresentou, esta tarde, os mandatários para 20 causas com que promete assinalar os 20 dias que faltam até às eleições presidenciais. Para cada uma das causas existem dois mandatários, um homem e uma mulher, para "simbolizar todas as igualdades", disse o candidato.

Entre os 40 mandatários estão a jornalista Maria Antónia Palla, mãe do primeiro ministro António Costa, e Vasco Lourenço (causa 25 de Abril e Liberdades); os eurodeputados Rui Tavares e Ana Gomes (União Europeia); Lídia Jorge e Eduardo Lourenço (Língua Portuguesa); Pilar del Rio e António Pedro Vasconcelos (Movimentos Sociais e Cidadania); Maria do Céu Guerra e Rui Vieira Néry (Cultura); Isabel Moreira e Gomes Canotilho (Assuntos Constitucionais); Rosa Mota e Carlos Lopes (Desporto); Ana Maria Bettencourt e António Arnaut (Serviços Públicos); além de Rosário Gama (Cidadania Sénior), Miguel Vale de Almeida (Igualdade e Combate às Discriminações), Sara Barata Belo (Juventude), Helena Carreiras (Segurança e Defesa) e Guadalupe Simões (Trabalho), entre outros.

A Comissão de Honra é presidida por Jorge Miranda.

Correia de Campos que, com a cantora Teresa Salgueiro partilha a função de mandatário nacional, considera que este grupo representa um "impressionante capital humano".

Manuel Carvalho da Silva, coordenador Nacional das Causas, criticou Marcelo Rebelo de Sousa, acusando-o de se "camuflar" e "fazer de conta, como se o facto de ter votado a Constituição implicar o compromisso com o Estado Social".

O antigo líder da CGTP diz que, no espaço à esquerda de Marcelo, "ninguém se pode assumir como ganhador à primeira volta", desafiando todos a fazer o "máximo possível" e manifestando a convicção de que é Sampaio da Nóvoa quem está "em excelentes condições para ser o candidato na segunda volta".

A 20 dias das presidenciais, Sampaio da Nóvoa apelou a um esforço redobrado: "Isto é para ganhar, não é para descansar", garantiu.