Pedro Marques recusa regressar à austeridade e rejeita nacionalismos

Pedro Marques rejeitou as políticas de austeridade de anos anteriores e os nacionalismos.

O cabeça de lista europeu do PS, Pedro Marques, advertiu, esta sexta-feira, que os tempos do presente impõem que se evite projetos de aventureirismo, mas, também, soluções de regresso ao passado com políticas de austeridade.

Esta mensagem foi transmitida por Pedro Marques no tradicional almoço de campanha do PS, na Trindade, em Lisboa, num discurso que antecedeu o do líder deste partido, António Costa, e em que procurou enfatizar a questão europeia que se joga nas eleições do próximo domingo.

"A esperança tem de ganhar ao medo e a Europa tem de vencer os nacionalismos", disse, antes de procurar novamente traçar uma linha de fronteira entre o PS e, do outro lado, o PCP e o Bloco de Esquerda.

O candidato aproveitou também para falar do Reino Unido. "Não é tempo de aventureirismos irresponsáveis de um pé dentro e um pé fora da Europa, como bem se está a ver com o Brexit nos últimos tempos", declarou, antes de sair ao ataque do PSD e do CDS-PP.

"É certo que não é tempo de aventureirismos, mas também não é tempo de voltar ao passado, ao tempo dos cortes e das sanções. Esses cortes e as sanções foram a gasolina para o crescimento dos nacionalistas e da extrema-direita em toda a Europa. Não é tempo de andar para trás", acrescentou.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados