Há 500 páginas suspeitas de difundir discurso de ódio na campanha para Europeias

A organização não-governamental Avaaz denunciou 500 páginas e grupos da rede social Facebook suspeitos de divulgarem informações falsas, numa altura em que aproximam as eleições europeias.

As denúncias da Avaaz já levaram o Facebook a encerrar, nas últimas semanas, dezenas de páginas que veiculavam 'fake news' sobre as eleições europeias.

Num novo relatório, a Avaaz disse ter identificado, nos últimos três meses, mais de 500 páginas e grupos responsáveis por desinformação, com conteúdos que já geraram mais de 67 milhões de interações (entre comentários, gostos e partilhas).

No mesmo período, os conteúdos relacionados com essas páginas, que comummente visam despertar o ódio contra migrantes ou denegrir Bruxelas, geraram 533 milhões de visualizações, calculou a ONG.

Ao todo, a Avaaz indicou que o Facebook já removeu 77 páginas e contas que foram reportadas pela ONG entre abril e maio.

Juntas, as páginas e as contas "tinham três vezes mais assinantes (5,9 milhões) do que os seis principais partidos europeus de extrema-direita ou anti-UE" - a Liga italiana, a AfD alemã, o Vox espanhol, o Partido Brexit britânico, a União Nacional francesa e o Partido Lei e Justiça (PiS) polaco, disse a ONG. Segundo o The Guardian , as contas foram criadas em França, Alemanha, Itália, Reino Unido, Polónia e Espanha.

Desde contas francesas a defender a supremacia branca a conteúdos criados na Alemanha que negam o Holocausto, a agenda política da desinformação é denegrir a União Europeia.

A Avaaz congratulou-se com o encerramento destas contas, mas apelou à rede social para que intensifique os esforços para combater a desinformação.

"O Facebook permitiu que muitas atividades suspeitas e conteúdos maliciosos se espalhassem. Deve proceder imediatamente a verificações em toda a UE para detetar outras atividades suspeitas na sua plataforma", concluiu a ONG.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de