António Costa acusa PSD de "faltar ao respeito" aos portugueses ao candidatar Rangel

O secretário-geral do PS diz que o candidato social-democrata às eleições europeias, Paulo Rangel, "nada fez por Portugal" durante os 10 anos que já cumpriu no Parlamento Europeu.

"Ninguém é capaz de se lembrar em nenhuma região, empresa, família, de algo de útil" que Paulo Rangel tenha apresentado em Bruxelas e Estrasburgo, advogou António Costa, falando num jantar-comício em Vila Franca do Campo, na ilha açoriana de São Miguel.

Para o socialista, o PSD "falta ao respeito aos portugueses" ao "manter repetidamente no Parlamento Europeu quem nada faz por Portugal, quem nada faz pelos portugueses".

Na sua intervenção perante algumas centenas de militantes socialistas dos Açores, António Costa elencou três "grandes socialistas" da região - Medeiros Ferreira, já falecido, Jaime Gama e Carlos César, este último presente na sala -, e defendeu que o PS "não falha" aos Açores e ao povo açoriano.

"Defendemos todos as autonomias e não confundimos o que ninguém pode confundir, os Açores com a Madeira, a Madeira com os Açores", declarou, criticando a opção do PSD em não apresentar um candidato pelos Açores na lista às europeias de domingo.

E prosseguiu: "Não podíamos ter uma lista nacional do PS às eleições do Parlamento Europeu sem termos candidatos dos Açores e da Madeira. E não o fazemos por favor: sabemos bem a importância destas duas regiões para a afirmação do nosso país e da Europa".

Para António Costa, a previsível saída do Reino Unido da União irá fortalecer a "dimensão atlântica" de ambas as regiões autónomas portuguesas.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de