"Fazemos da política uma ONG." O PURP quer ajudar todos

Candidato europeu do PURP criticou o salário "extraterrestre" dos eurodeputados e, em especial, a postura dos portugueses.

O cabeça de lista europeu pelo Partido Unido dos Reformados e Pensionistas (PURP), Fernando Loureiro, criticou hoje o salário "extraterrestre" dos eurodeputados e prometeu criar um fundo para ajudar os mais desfavorecidos, caso seja eleito.

"Recebemos mails, recebemos chats de pessoas que estão aflitas. Ainda ontem um senhor do Algarve me ligou, nem sei como é que apanhou o número de telefone", que levou Fernando Loureiro a garantir que o partido quer ajudar "todos", garantiu em declarações aos jornalistas.

"Não queremos carreira. Fazemos da política uma ONG de ajuda as pessoas", garante o cabeça de lista do PURP, que adianta que na Europa quer ser "muito, muito ativo e corrosivo". Fernando Loureiro deixou ainda críticas aos eurodeputados "encostados às famílias europeias" e alerta que "os povos do sul, como Portugal e Grécia, não podem levar com este embrulho" de fatores económicos.

"Deixa-nos desconfortáveis o dinheiro que se ganha lá fora. Eu acho que os eurodeputados têm regalias extraterrestres e não deviam ter porque eles estão lá para servir o povo", afirmou o candidato, de 71 anos, à agência Lusa, depois de uma visita à feira de Carcavelos, no concelho de Cascais.

Fernando Loureiro assegurou que, "ao contrário dos outros partidos," o PURP é um partido "desinteressado dos valores materiais" e que têm uma filosofia semelhante a uma ONG (Organização Não Governamental).

"Se alguém fosse eleito o valor que receberíamos seria para dividir pelo partido, para pagar despesas fixas, e o resto para ajudar as pessoas mais desfavorecidas, porque a gente não quer o dinheiro para nós", afirmou.

Fernando Loureiro pretende também uma mudança na atitude dos eurodeputados portugueses no Parlamento Europeu que, segundo o candidato do PURP, "raramente defendem o interesse dos portugueses".

"Temos de bater na mesa, forte, quando for alguma atitude de benefício às multinacionais e às corrupções que lá se geram", concluiu.

As eleições para o Parlamento Europeu realizam-se no dia 26 de maio.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de