Rangel acusa Costa de falta de "legitimidade moral" para falar de ética

O cabeça de lista aproveitou um comício em Aveiro para recuperar o tema das nomeações familiares no seio do Governo.

O cabeça de lista do PSD, Paulo Rangel, acusou, na terça-feira à noite, António Costa e o PS de falta de "legitimidade moral" para falar de ética, recuperando o que chamou de "escândalo das famílias" no Governo.

"O primeiro-ministro que tem o escândalo das famílias como é que pode falar em ética e em respeito?", questionou o eurodeputado, num comício ao ar livre na Praça da República, em Aveiro, que juntou centenas de pessoas.

Rangel recuperou o tema das nomeações familiares, invocando a notícia de segunda-feira do jornal Público, segundo a qual a deputada do PS Hortense Martins conseguiu fundos europeus para projetos familiares já concluídos.

"A promiscuidade familiar é o pasto e o caminho para haver erros. Não há autoridade moral para o PS nos vir falar em ética, em respeito", defendeu.

Dizendo-se "emocionado" com um "comício à moda antiga", ao ar livre, Rangel apelou ainda à mobilização no próximo domingo, dizendo-se convicto que, "se todos tiverem o entusiasmo do público de Aveiro", o PSD vai ganhar as eleições europeias.

"Que ninguém desista, que ninguém tenha medo, neste domingo temos todos de ir votar e ir votar no PSD. Se o fizermos Portugal estará melhor na Europa e, ao mesmo tempo, é o efeito dois em um, vamos dar uma lição a António Costa e a todos no Governo".

O cabeça de lista do PSD defendeu que, no próximo domingo, a escolha será "entre uma lista de gente competente, equilibrada territorialmente, entre gerações e por áreas" e a lista do PS "de ex-governantes de José Sócrates e de António Costa, de gente que apenas quer um cargo na Europa".

"A nova moda do PS é esconder os candidatos da sua lista, apresentando apenas o primeiro-ministro na campanha, nos cartazes e a toda a hora", criticou.

A escolha, defendeu, é também entre "um programa de promessas vazias" e um de "propostas realistas".

"Nós não fazemos promessas para quando as galinhas tiverem dentes", referiu.

Antes, Salvador Malheiro, líder do PSD-Aveiro, apontou o distrito como um local onde "o povo não tem medo de ir para a rua" e o partido "ganha eleições nas urnas", sem medo de sondagens.

"Quem manda é o povo, eles têm medo de ir para rua", afirmou, numa alusão ao comício num espaço fechado realizado pela campanha do PS em Aveiro, praticamente à mesma hora.

Coube ao presidente da Câmara de Aveiro, Ribau Esteves, aquecer a audiência, numa noite de vento frio em Aveiro, com o conselho que deu a Paulo Rangel para os três últimos dias de campanha.

"Que no fim da noite o meu amigo carregue uma boa caixa de ovos moles: come um ao pequeno-almoço, um ao almoço e um ao jantar. Vai perceber que vai dar energia, sem engordar, que queremos o nosso candidato em linha", afirmou, provocando risos na plateia.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de