Mercado Único Digital: uma prioridade europeia

Dinamarca, Suécia, Finlândia e Holanda são os quatro países mais digitais da Europa, mas o trabalho está longe de estar completo, quer nestes, quer nos restantes países do bloco.

O Mercado Único Digital é uma das atuais prioridades da Comissão Europeia, seja para suprimir entraves, seja para melhor aproveitar as oportunidades online.

Está por isso em marcha esta estratégia para que os cidadãos possam beneficiar totalmente dos bens e serviços disponíveis e as empresas e governos possam tirar pleno partido das ferramentas digitais.

A Comissão Europeia escreve que "a Internet e as tecnologias digitais estão a transformar o mundo em que vivemos", mas que "existem obstáculos em linha que impedem os cidadãos de beneficiar totalmente dos bens e serviços disponíveis e as empresas e os governos de tirar pleno partido pleno das ferramentas digitais, para além de limitarem o espaço de manobra das empresas do setor da Internet e das start-ups".

Com vista à adequação do mercado único europeu à era digital, esta estratégia tem três pilares essenciais: o melhor acesso dos consumidores e dos europeus aos bens online; um ambiente propício ao desenvolvimento das redes e serviços digitais; e a economia digital como motor de crescimento.

Nas estimativas de Bruxelas, a adequação à era digital dos mercados europeus poderá representar "um contributo de 415 milhões de euros por ano" e a criação de "centenas de milhares de novos empregos".

"Sabia que? Tudo o que precisa de saber sobre a União Europeia"faz parte do projeto da TSF A Hora da Europa, com o apoio do Parlamento Europeu.

Continuar a ler

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de