O que acontece aos eurodeputados britânicos depois do Brexit?

Depois de muitos avanços e recuos, o Reino Unido vai mesmo participar nas eleições europeias. O processo de eleição dos 751 deputados do Parlamento Europeu arranca esta quinta-feira na Holanda e no Reino Unido, os dois primeiros países a votar num calendário que se estende até domingo.

O Reino Unido é dos primeiros países a votar nas eleições europeias esta quinta-feira, com quase 47 milhões de britânicos a eleger 73 eurodeputados. ​​​

A data inicial de saída do país da União Europeia estava marcada para 29 de Março de 2019, mas depois dos deputados britânicos terem rejeitado o acordo de Theresa May com Bruxelas por três vezes, o país teve mesmo de ir a votos.

Com o Brexit, alguns dos lugares que os eurodeputados britânicos deixavam vagos seriam ser distribuídos pelos Estados Membros. O objetivo era reduzir de 751 para 705 eurodeputados mas agora vagas vão ser ocupados até que a saída do Reino Unido da União Europeia se concretize.

A partir do momento que o país deixe de ser membro, o Parlamento Europeu passa a ter 705 eurodeputados, com parte dos 73 lugares dos britânicos a serem redistribuídos por outros Estados-membros e parte a ficar numa "reserva" para futuros alargamentos.

Até que isso aconteça, os 73 eurodeputados britânicos vão assumir funções no novo parlamento a 2 de julho, a não ser que Theresa May consiga fechar o acordo antes da posse dos novos eurodeputados.

Os partidos britânicos não estavam prontos para a campanha eleitoral, uma vez que o processo eleitoral só foi confirmado há duas semana, mas tiveram de se organizar à última da hora e houve até tempo para surgir um novo partido chamado Brexit do eurocético Nigel Farage. O partido lidera as intenções de voto no Reino Unido.

"Sabia que? Tudo o que precisa de saber sobre a União Europeia" faz parte do projeto da TSF A Hora da Europa, com o apoio do Parlamento Europeu.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de