Mercedes: a "bomba" alemã vai passar a ser elétrica

A Mercedes-Benz está a preparar a sua rede global de produção para fabricar apenas modelos elétricos de luxo até ao final da década, e de forma sustentável, entrando assim em competição com a BMW e a Tesla neste mercado em ascensão. Uma revolução na fabricante alemã criada há quase um século.

A dois anos de completar um século de existência, a Mercedes-Benz (criada em 1924) vai rejuvenescer, alinhada com as metas globais ecológicas de descarbonização e em competição, neste mercado da mobilidade sustentável, com outros dois gigantes, a também alemã BMW e a norte-americana Tesla. Recorde-se que a Tesla criou um novo paradigma nos carros elétricos de luxo, através do sucesso nas vendas do Model S. E a BMW investiu em fibra de carbono e num design futurista para a sua gama "i", como foi então noticiado na imprensa, há já quatro anos.

A "bomba" alemã Mercedes entra agora neste campeonato e vai passar a ser totalmente elétrica: está a preparar a sua rede global de produção para fabricar o seu portefólio remodelado de produtos constituído principalmente por automóveis e outros veículos elétricos de luxo, avançou o site Motor 24. Se as condições do mercado o permitirem, a Mercedes-Benz irá produzir exclusivamente modelos elétricos até ao final da década, principalmente no segmento luxo. Segundo a mesma notícia, a administração e os representantes dos trabalhadores chegaram a um consenso sobre a futura configuração da produção europeia.

Luxo: do topo de gama ao essencial

O futuro portefólio de automóveis da Mercedes-Benz irá concentrar-se em três categorias: Luxo Topo de Gama, Luxo Essencial e Luxo de Entrada na Marca conforme apresentado no evento Economia do Desejo, a 19 de maio.

As fábricas da Mercedes-Benz em Sindelfingen, Bremen, Rastatt e Kecskemét irão iniciar a produção destes novos modelos a partir de meados da década.

A fábrica de Sindelfingen da Mercedes-Benz é a unidade principal do segmento Luxo Topo de Gama e irá produzir modelos baseados na plataforma elétrica AMG.EA a partir de 2025. As fábricas de Bremen, na Alemanha, e de Kecskemét, na Hungria, irão produzir modelos baseados na plataforma MB.EA. Além disso, esta última unidade, juntamente com a fábrica de Rastatt irão também produzir modelos reposicionados baseados na plataforma MMA, a partir de 2024.

De acordo com o previsto no plano de negócios da Mercedes-Benz para o período entre os anos 2022 e 2026, a empresa irá investir mais de dois mil milhões de euros nas suas fábricas europeias. Este investimento marca uma nova fase do lançamento da produção das plataformas elétricas de futura geração, assegurando a manutenção dos postos de trabalho no futuro nas fábricas europeias, descreveu o artigo publicado no Motor 24.

O novo plano de produção é o resultado de discussões construtivas com os representantes dos trabalhadores alemães, resultando em medidas de fundo para aumentar ainda mais a flexibilidade e a eficiência. O portefólio de produção já inclui seis modelos totalmente elétricos da Mercedes EQ, noticiou o site Motor 24. Estes sairão das linhas de produção em seis fábricas de três continentes e foram consistentemente integrados na produção em série contínua.

Rede global de produção de baterias

Graças aos investimentos iniciais na produção flexível e à utilização do moderno e avançado sistema de produção digital MO360, a Mercedes-Benz já tem capacidade para produzir grandes volumes de veículos elétricos a bateria.

As baterias dos veículos elétricos Mercedes-EQ são fornecidas pela rede global de produção de baterias com fábricas em três continentes. A produção local de baterias é um fator-chave para o sucesso da ofensiva elétrica da Mercedes-Benz, que há um ano aliou-se à Grob-Werke GmbH, empresa de produção de baterias e de sistemas de automação, para expandir a produção deste componente essencial à autonomia dos veículos elétricos. "A rede global de produção de baterias Mercedes-Benz é um pilar fundamental da ofensiva do modelo Mercedes-EQ, e a base da nossa mudança estratégica de "Electric First" para "Electric Only". Através da nossa parceria com a Grob-Werke, queremos alavancar mais potencial na área da tecnologia de fabrico em termos de eficiência, digitalização e sustentabilidade e, assim, expandir ainda mais a nossa capacidade de produção de baterias", afirmou há um ano à Mob Magazine Jörg Burzer, membro do conselho de administração da Mercedes-Benz AG Production and Suplly Chain Management.

Neutra em emissões de CO2

A Mercedes-Benz tem utilizado processos de produção neutros em emissões de CO2 em todas as suas fábricas de produção dispersas pelo mundo, desde o início deste ano, e também compra eletricidade na Alemanha exclusivamente produzida a partir de fontes renováveis (sem produção de CO2) desde este ano, referiu o artigo do Motor 24. Por terem estruturas altamente flexíveis, as fábricas da Mercedes-Benz AG podem produzir veículos com diferentes cadeias cinemáticas numa única linha de produção, refere o mesmo artigo. Com o objetivo estratégico de produzir veículos totalmente elétricos, o elevado grau de flexibilidade é uma vantagem decisiva. Torna possível ajustar rapidamente a produção de acordo com a procura do mercado.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de