A Transição Verde no Plano de Recuperação e Resiliência

Os próximos programas de incentivos terão como objetivo apoiar a transição do tecido empresarial nacional para uma economia mais limpa, reforçando a sua competitividade e promovendo um crescimento económico sustentável.

Uma das linhas orientadoras do Plano de Recuperação e Resiliência e do Portugal 2030 é a Transição Verde ou Climática.

Os próximos programas de incentivos neste âmbito terão como objetivo apoiar a transição do tecido empresarial nacional para uma economia mais limpa, reforçando a sua competitividade e promovendo um crescimento económico sustentável.

Enquadram-se nestas ações investimentos relacionados com, entre outros, o eco-design de processos e produtos, menos intensivos em recursos e que devem dar prioridade à utilização de materiais renováveis e com menor perigosidade e risco, bem como à reutilização.

Também investimentos relacionados com a eco-eficiência, ou seja, produzir mais ao menor preço, com menos recursos, menos resíduos e menor impacto sobre o ambiente; e também a eco-inovação, traduzindo-se em processos de produção, serviços ou métodos de gestão inovadores, tendo como base uma abordagem de análise de ciclo de vida, visando a redução do risco ambiental, poluição ou outros impactos negativos em termos de utilização de recursos.

Há ainda investimentos ao nível de novos modelos de negócio, desmaterialização e transformação digital, ou seja, a substituição de serviços físicos por equivalentes virtuais, plataformas de partilha e aluguer que maximizem a produtividade de equipamentos e conservem recursos. Também modelos empresariais baseados na locação, partilha, reparação, atualização ou reciclagem.

Por fim, ao nível das energias renováveis através da implementação de ações que visem a utilização, ou produção para autoconsumo, de energias renováveis nos processos produtivos da empresa.

Estes investimentos devem ter sempre por base uma avaliação anterior por entidade terceira que permita definir, de acordo com o investimento previsto, metas de eco-eficiência, que se podem traduzir em redução de emissões de CO2, redução do consumo energético ou redução do consumo de água.

Uma estratégia de sustentabilidade da empresa, focada nos princípios do ESG, é fundamental para o alinhamento de expectativas e objetivos de desenvolvimento nos temas ambiental, social e de governance.

Estes e outros conteúdos estão disponíveis para ouvir na página do Minuto Moneris onde a consultora dá os melhores conselhos de governação para a rentabilização dos negócios das empresas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de