Consolidação de contas. Porque é que pode ser vantajosa para grupos económicos?

As demonstrações financeiras consolidadas não são obrigatórias para todos os grupos económicos, mas há vantagens na consolidação de contas mesmo para quem não tem legalmente de o fazer.

As oportunidades de negócio induzem a investimentos e a esforços para fazer crescer os vários projetos em que os empresários se empenham. Com o crescimento e consolidação desses vários projetos, constata-se com frequência estar-se perante um verdadeiro grupo de empresas, interligadas entre si por um nexo de controlo detido por uma dessas empresas sobre as demais.

A análise das contas individuais de cada uma das empresas de um grupo não permite, no entanto, ter uma visão global sobre a posição financeira do grupo como um todo. Neste contexto, a preparação de demonstrações financeiras consolidadas permite uma análise mais completa e informada sobre o desempenho e situação financeira do grupo.

A consolidação de contas é mais do que uma simples agregação dos elementos financeiros individuais das empresas que compõem o grupo. Na consolidação de contas temos em conta o investimento da empresa que detém o interesse mostrado ao custo histórico no seu balanço é substituído pelos elementos, ativos e passivos, dos balanços das empresas subsidiárias; a eliminação dos saldos e das transações geradas dentro do grupo ; e o apuramento do valor dos interesses sem controlo.

Isto resulta numa visão do grupo como se de uma entidade única se tratasse e segregando a parte do investimento e resultados acumulados atribuíveis a terceiros.

Esta visão global é vantajosa, pois permite logo à partida identificar a composição do grupo, entender a natureza das suas atividades, internas e externas, e a saúde da sua posição financeira.

Esta transparência e credibilidade inerentes às demonstrações financeiras consolidadas é cada vez mais um elemento de primordial importância para os vários stakeholders, mas em particular para as instituições financeiras na análise das propostas de financiamento apresentadas por qualquer das entidades que compõem o grupo.

As demonstrações financeiras consolidadas são ainda uma obrigação legal para os grupos económicos cuja dimensão em base consolidada ultrapasse 2 dos seguintes 3 limites: o total do balanço em seis milhões de euros; o volume de negócios líquido em doze milhões de euros; e 50 empregados, em média, durante o período.

Estes e outros conselhos estão disponíveis para ouvir na página do Minuto Moneris onde a consultora dá os melhores conselhos de governação para a rentabilização dos negócios das empresas.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de