Mobilidade internacional de professores como factor de diferenciação no privado

As instituições internacionais defendem um ensino de excelência e a singularidade do seu corpo docente, tradicionalmente diferenciado e multicultural, motivando a mobilidade internacional de professores estrangeiros para Portugal.

A oferta educativa estruturada em programas internacionais tem registado um crescimento acentuado em Portugal, sobretudo ao longo das últimas três décadas. Este registo parece estar em linha com uma tendência global de internacionalização do ensino nos países da OCDE e constituir um factor de diferenciação.

As instituições internacionais defendem um ensino de excelência e a singularidade do seu corpo docente, tradicionalmente diferenciado e multicultural, motivando a mobilidade internacional de professores estrangeiros para Portugal.

Os processos de expatriação podem representar múltiplos desafios, desde logo, do ponto de vista do cumprimento da legislação que aprova o regime de entrada, permanência, saída e afastamento de estrangeiros do território nacional, e que importa clarificar.

Relativamente aos cidadãos da União Europeia e de países que assinaram acordos com vista à livre circulação de pessoas, a regularização da sua residência é relativamente simplificada, sendo necessário requerer um certificado de registo na Câmara Municipal da sua área de residência, até 30 dias após decorridos 3 meses da entrada em Portugal, que será válido por um período de 5 anos.

Para os demais, o processo é necessariamente mais exigente porque é obrigatório obter uma autorização para trabalhar e residir em Portugal, podendo ser aplicável um regime especial para trabalhadores que exercem uma atividade altamente qualificada, como são exemplo os professores.

A nossa experiência no contexto das soluções de gestão de recursos humanos revelou que os requisitos e procedimentos burocráticos, intensificados pela situação de pandemia, potenciam elevados índices de incerteza e ansiedade nas instituições e professores que podem ser acautelados e minimizados.

Para o futuro, espera-se que a desmaterialização de atos consulares e de agendamento no SEF através de portais eletrónicos represente uma solução mais eficaz, permitindo maior agilidade nos processos em geral, e dos profissionais altamente qualificados.

Estes e outros conteúdos estão disponíveis para ouvir na página do Minuto Moneris onde a consultora dá os melhores conselhos de governação para a rentabilização dos negócios das empresas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de