Um olhar sobre a agricultura. Moneris agrega dados para ajudar a repensar o setor

A pandemia provocada pela Covid-19 confrontou o setor agrícola com uma série de desafios e pressões porque seria impensável parar as atividades. Para ajudar a repensar o setor, Moneris compila dados para ajudar empresários à redefinição estratégica do setor.

Se há coisa sobre a qual não há dúvidas neste momento é que a pandemia provocada pelo novo coronavírus impactou todos os setores de atividade. Uns mais do que outros, mas é certo que a agricultura sofreu uma pressão adicional da parte dos mercados. Por isso mesmo, a redefinição estratégica do setor é uma prioridade realçada pela consultora Moneris na publicação "Agricultura: Outlook Primavera".

A consultora lançou esta publicação com o intuito de "partilhar informação útil e relevante para a necessária redefinição estratégica do setor, com alguns dados essenciais para a tomada de decisão, e a análise dos impactos de curto prazo e das previsões de produção e consumo para 2020".

Na introdução deste guia, assinada pelo partner da Moneris João Gomes, lê-se que "não haja ilusões de que Portugal, a Europa e o Mundo estão a enfrentar uma grave recessão económica, que perdurará ao longo dos próximos anos" e que, por isso, é "premente o reposicionamento e o reforço da nossa agricultura".

Nesse sentido, a publicação desenvolve-se com análises dos setores vegetal e animal, "reunindo alguns dados estatísticos, que, apesar de provisórios, conseguem dar uma perspetiva dos impactos da Covid-19".

E porque é que é importante pensar nisto neste momento? Porque a crise também pode representar uma oportunidade. Defende João Gomes que, "independentemente do peso do setor agrícola em Portugal, os outros setores da economia não subsistem sem agricultura".

"É necessário alimentar toda a economia e o défice alimentar em Portugal continua a ser dos mais altos da UE-28 (10% do total das nossas importações), o que significa que dependemos dos outros países para nos alimentarmos", considera o partner da Moneris para quem estes são números "preocupantes".

"Ainda que sejamos autossuficientes em determinados produtos, como sejam o vinho e o azeite, é necessário induzir os nossos agricultores numa estratégia de investimento, apoiada nas necessidades do país, visto que o grau de auto aprovisionamento é relativamente baixo em determinados produtos, como sejam, os cereais e a carne, fulcrais para a base alimentar da nossa população", nota.

Com um olhar sobre os números baseado em variadas fontes oficiais, a Moneris defende que "existirá uma geração pós e pré-Covid, com novos hábitos, novos costumes, novas visões e crenças, que contribuirão para uma alteração de paradigma na agricultura em Portugal, e na UE e na relação que é estabelecida entre a cadeia de produção, a agroindústria, a distribuição e um consumidor mais consciente e solidário".

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de