"É preciso um olhar mais atento à saúde das populações algarvias"

De 20 de novembro a 1 de dezembro, a Ordem dos Enfermeiros, em parceria com a TSF, vai percorrer o interior do país, de norte a sul, para levar cuidados de saúde primários às populações mais isoladas.

Na penúltima etapa do périplo que a Ordem dos Enfermeiros e a TSF está a fazer pelo interior do país, em Castro Marim, Sérgio Branco, presidente da secção regional do Sul da OE, sublinha que "todo o Algarve está empobrecido em matéria de saúde à população". E, por isso, com a iniciativa "Ninguém está sozinho", a intenção é a de "chegar mais próximo das populações, que muitas vezes, dentro daquilo que é o fenómeno da interioridade, estão abandonadas. Assim, traz-se algum alento, alguma esperança e a promoção da saúde e prevenção da doença", acrescenta.

Perante determinadas situações de risco, os utentes são encaminhados para as "entidades competentes". Sérgio Branco adianta ainda que "é preciso um olhar mais atento, no que diz respeito à saúde das populações", quer do interior, quer do litoral de toda a região algarvia.

"Existe todo um trabalho que enfermeiros têm feito para chegar junto da população, mas o número de enfermeiros está muito abaixo daquilo que é estipulado em matéria da OCDE, e nós não conseguimos fazer esse trabalho se não tivermos recursos", afirma.

Célia Brito, enfermeira em Castro Marim, e pela primeira vez na Unidade Móvel de Saúde da Ordem dos Enfermeiros, confirma que esta iniciativa "gera um conceito de proximidade muito importante em concelhos do interior como o nosso, com uma população muito envelhecida".

Mas, a enfermeira vê outra vantagem na iniciativa "Ninguém está sozinho": "esta medida é também importante para dar visibilidade à Ordem dos Enfermeiros, para mostrar que a ordem não está apenas sentada no gabinete, que está ao serviço da comunidade.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de