Mação "sem carência" de cuidados de saúde primários

De 20 de novembro a 1 de dezembro, a Ordem dos Enfermeiros, em parceria com a TSF, vai percorrer o interior do país, de norte a sul, para levar cuidados de saúde primários às populações mais isoladas.

"Gostei muito e não tenho palavras para agradecer a quem cuida de nós. Estou muito agradecida. Às vezes dizia, quando via os rastreios em Lisboa, em Braga e no Porto, que era triste, que as populações mais pequenas também mereciam", adianta Natalina Carias, que aplaude a iniciativa da Ordem dos Enfermeiros, e para quem hoje foi dia de ver um desejo concretizado. Quanto à glicémia, colesterol e tensão arterial estava tudo bem. "Quero cá andar por mais uns tempos", garante a septuagenária.

Ao longo do dia, em Mação, com o apoio da Câmara Municipal, os vários idosos da Universidade Sénior do concelho passaram pela Unidade Móvel de Saúde da Ordem dos Enfermeiros, rastreando fatores de risco, e conhecendo de perto o projeto "Ninguém está sozinho". Foi o caso de Eugénia e Maria Adelaide. "Viemos aqui agora porque depois vamos à aula de Espanhol", e depois segue-se Inglês, História, Cidadania e Dança. Tudo disciplinas que as deixam animadas, ativas e dinâmicas. Habitualmente fazem rastreios, mas "nunca é demais controlar, porque tenho o colesterol alto", adianta Eugénia. "Da última vez tinha o colesterol muito baixo porque tenho cuidado com o que como", acrescenta à entrada para a Unidade Móvel.

Vasco Estrela, o autarca local, depois de ter rastreado também os fatores de risco, sublinhou à TSF que a autarquia ofereceu duas viaturas ao centro de saúde, com o objetivo de "fazer apoio domiciliário à nossa população". Vasco Estrela valoriza a palavra "Comunidade", havendo "todo um concelho a trabalhar em prol dos idosos", com partilha de informação e iniciativas, como por exemplo a passagem do "Ninguém está sozinho" por Mação. Existe ainda um "Clube sénior", uma vez que Mação tem cerca de 2800 idosos, onde realizam atividades diversas, "sendo assim acompanhados diariamente, com acompanhamento técnico especializado por parte da autarquia".

Quanto à saúde, "não há falta e carência de cuidados de saúde primários no concelho", garante o edil. Todas as freguesias do concelho têm extensões de saúde, com médico e enfermeiro semanalmente, e a autarquia fornece "transporte a pedido", porta a porta, para que as pessoas se possam deslocar à sede de concelho. Em casos mais graves, a própria Câmara Municipal apoia no transporte aos hospitais de Abrantes ou Tomar. "Não será por uma dificuldade momentânea de deslocação que a pessoa ficará por fazê-lo", conclui.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de