Passado, presente e futuro da Rota do Românico

O património histórico-cultural da Rota do Românico é de uma importância reconhecida por todos. E é ainda no mês de junho que será tema central de um debate que promete analisar o seu impacto nos mais variados contextos.

Em terras dos vales do Sousa, Douro e Tâmega ergue-se um importante património arquitetónico de origem românica, que se encontra estruturado na Rota do Românico (RR), que tem vindo a afirmar-se como um projeto de referência nacional, com um importante papel no desenvolvimento regional.

A 22 de junho, a TSF e a RR debatem a importância do património histórico-cultural no desenvolvimento e coesão dos territórios. Uma mesa redonda onde iremos tentar perceber qual o lugar da RR na economia local, no turismo; a importância de preservar tradições e monumentos; de que forma contribui para o desenvolvimento sustentado do território dos vales do Sousa, Douro e Tâmega, etc. Análise e olhar sobre o presente e o futuro da RR, que conta com a presença de: Luís Pedro Martins, presidente da Turismo do Porto e Norte de Portugal, E.R; Rosa Cortez, secretária-técnica do Programa Operacional NORTE 2020 na CCDR-N; Humberto Brito presidente da Associação de Municípios do Vale do Sousa | Rota do Românico e Laura Castro, diretora regional de Cultura do Norte.

Luís Pedro Martins, presidente da Turismo do Porto e Norte de Portugal, E.R. É licenciado em Design pela ESAD e Pós-Graduado em Marketing Management pela Porto Business School.

Foi deputado na Assembleia da República e durante quatro anos trabalhou como responsável pela Comunicação e Marketing da Santa Casa da Misericórdia do Porto.

Com uma longa experiência nas áreas do Marketing e da Comunicação, onde é autor de mais de uma centena de campanhas, Luís Pedro Martins estendeu a sua atividade a diferentes áreas, como o ensino de Marketing, na Porto Business School.

Em janeiro de 2019 foi eleito Presidente da Entidade Regional de Turismo do Porto e Norte. Em outubro de 2020 toma posse como Presidente da Associação de Turismo do Porto e Norte (Agência Regional de Promoção Externa).

Rosa Cortez, secretária-técnica do Programa Operacional NORTE 2020 na CCDR-N. Licenciada em Engenharia Civil, é mestre em Planeamento e Projeto do Ambiente Urbano pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto. Assume, desde 2008, funções de Secretária Técnica do Programa Operacional Regional do Norte. Desde 1990, pertence ao quadro privativo da CCDR-N, onde assegurou as seguintes funções: Coordenadora do Gabinete de elaboração do Plano Regional de Ordenamento do Território; Assessora da presidência da CCDR Norte nas questões do Ordenamento do Território e da Estrutura de Missão para a Região Demarcada do Douro; Comunidade de Trabalho Norte de Portugal - Castilla y León, no âmbito do Programa de Iniciativa Comunitária INTERREG III C; Secretariado Técnico do Programa de Iniciativa Comunitária INTERREG I.

Humberto Brito, é presidente da Associação de Municípios do Vale do Sousa e também presidente da Câmara Municipal de Paços de Ferreira. Licenciado em direito pela Universidade Portucalense. No currículo conta com vários cargos públicos: foi vice-presidente da CIM do Tâmega e Sousa; presidente da MOVELTEX - Centro de Competências e Incubação de Empresas; diretor de projetos da ADERSOUSA - Associação de Desenvolvimento Rural das Terras do Sousa; membro da mesa da Assembleia Geral da Associação Nacional de Municípios Portugueses e em dezembro de 2017 foi eleito presidente da VALSOUSA - Associação de Municípios do Vale de Sousa, entidade gestora da Rota do Românico.

Laura Castro, diretora regional de Cultura do Norte. É licenciada e mestre em História de Arte pela Faculdade de Letras e doutorada em Arte e Design pela Faculdade de Belas Artes. O seu percurso está ligado sobretudo à Escola das Artes da UCP, que dirigiu entre 2013 e 2017, e onde é investigadora do Centro de Investigação em Ciência e Tecnologia das Artes.

Com um extenso currículo como historiadora, investigadora e professora, Laura Castro trabalhou no setor cultural bem como em museus, galerias de artes e serviços de cultura, com os quais colabora frequentemente. Do percurso da nova responsável pela Direção Regional de Cultura do Norte destacam-se ainda as passagens pelo conselho de administração do Lugar do Desenho-Fundação Júlio Resende, e pela presidência da direção do Círculo de Cultura Teatral/Teatro Experimental do Porto. Atualmente, membro da Associação Internacional de Críticos de Arte (AICA) e da Associação Portuguesa de Historiadores de Arte (APHA).

Dia 22 de junho, entre as 15h e as 16h, a Rota do Românico e a TSF debatem a importância do património histórico-cultural no desenvolvimento e coesão dos territórios. Pode acompanhar a mesa redonda em direto na antena da TSF e em dinheirovivo.pt. e tsf.pt

A Rota do Românico foi criada em 1998, no seio dos concelhos que integram a VALSOUSA- Associação de Municípios do Vale do Sousa - Castelo de Paiva, Felgueiras, Lousada, Paços de Ferreira, Paredes e Penafiel, e alargada, em 2010, aos restantes municípios da NUT III - Tâmega e Sousa (Amarante, Baião, Celorico de Basto, Cinfães, Marco de Canaveses e Resende), unindo num projeto supramunicipal um legado histórico e cultural comum.

Ancorada num conjunto de 58 monumentos (e dois centros de interpretação) de grande valor e de excecionais particularidades, esta Rota pretende assumir um papel de excelência no âmbito do turismo cultural e paisagístico, capaz de posicionar a região como um destino de referência do românico, estilo arquitetónico que perdurou entre os séculos XI e XIV.

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de