Discutir a importância de um património

É já no dia 22 de junho que a Rota do Românico será tema central de um debate que promete encontrar algumas respostas. Não perca a oportunidade de conhecer melhor este património tão português.

Junte-se ao debate sobre a importância histórico-cultural da Rota do Românico (RR) no desenvolvimento e coesão do território dos vales do Sousa, Douro e Tâmega.

A TSF e o Dinheiro Vivo unem-se a 22 de junho, entre as 15h e as 16h, numa mesa redonda onde iremos tentar perceber qual o lugar da RR na economia regional, no turismo e na cultura; a importância de preservar tradições e monumentos; de que forma contribui para o desenvolvimento sustentado deste território. Encontro onde também iremos olhar para o futuro.

A mesa redonda conta com a presença de Luís Pedro Martins, presidente da Turismo do Porto e Norte de Portugal, E.R; Rosa Cortez, secretária-técnica do Programa Operacional NORTE 2020 na CCDR-N; Humberto Brito, presidente da Associação de Municípios do Vale do Sousa (entidade gestora da RR) e Laura Castro, diretora regional de Cultura do Norte.

Pode acompanhar este debate em direto na antena da TSF e em dinheirovivo.pt. e tsf.pt

Durante a mesa redonda é possível colocar questões, através do número de whatsapp que irá passar em rodapé.

A Rota do Românico reúne atualmente 58 monumentos e dois centros de interpretação, distribuídos por 12 municípios dos vales do Sousa, Douro e Tâmega (Amarante, Baião, Castelo de Paiva, Celorico de Basto, Cinfães, Felgueiras, Lousada, Marco de Canaveses, Paços de Ferreira, Paredes, Penafiel e Resende).

As principais áreas de intervenção da Rota do Românico abrangem a investigação científica, a conservação do património, a dinamização cultural, a educação patrimonial e a promoção turística.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de