Afinal, foguetão que irá colidir com a Lua em março será chinês e não da Space X

Num primeiro momento, tinha sido anunciado que se tratava de um módulo do Falcon 9, da Space X. No entanto, os peritos vieram agora admitir o erro e dizem que, afinal, o objeto que irá atingir a superfície da Lua a 4 de março deverá fazer parte de um programa de exploração lunar chinês. O astrónomo Jonathan McDowell explica o erro com a "falta de rastreio adequado destes objetos".

O objeto que irá colidir com a Lua em março terá sido afinal construído pela China e não pela Space X, como foi anunciado inicialmente. Os especialistas explicam agora que a leitura foi feita de forma errada, sublinhando que, de facto, o foguetão irá atingir a superfície lunar a 4 de março, mas não foi construído pela empresa de Elon Musk, mas sim por Pequim.

Trata-se do foguetão 2014-065B, o impulsionador do Chang'e 5-T1, lançado em 2014 como parte do programa de exploração lunar da agência espacial chinesa.

Bill Gray tinha adiantado inicialmente que o objeto que iria colidir com a Lua era um módulo do Falcon 9, construído e lançado pela Space X, em 2015. No entanto, o astrónomo admitiu o seu erro no fim de semana.

"Este (erro honesto) apenas enfatiza o problema da falta de um rastreio adequado destes objetos do espaço profundo", escreveu o astrónomo Jonathan McDowell numa publicação na rede social Twitter.

No final de janeiro, a NASA, graças à sua sonda que orbita à volta da Lua, disse que iria tentar observar a cratera que será formada pela colisão do objeto. A agência espacial norte-americana designou o fenómeno de "excitante oportunidade de investigação".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de