"De papo para o ar" com olhos postos no céu. Vem aí uma chuva de Perseidas e uma superlua

Apesar de acontecerem numa fase de lua cheia, na noite de 12 para 13 de agosto, a chuva das Perseidas será visível, nomeadamente em céus completamente escuros, fora das cidades, e em locais "sem poluição luminosa". Já a visibilidade da superlua, na madrugada de sexta-feira, dependerá das condições meteorológicas.

PorCarolina Quaresma
© Photo by Austin Human on Unsplash

Chuva de Perseidas e uma superlua. Este fim de semana reserve um tempo para olhar para o céu noturno. Uma das "maiores chuvas de meteoros do ano", as habituais Perseidas, vai ter o seu pico entre as noites de 12 e 13 de agosto (de sexta-feira para sábado), coincidindo com a fase de lua cheia.

Em declarações à TSF, Ricardo Reis, do grupo de comunicação de ciência do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço, explica que a chuva das Perseidas acontece quando "a terra passa pelos detritos deixados pela passagem de um cometa".

"O efeito é semelhante ao que acontece quando um carro vai numa autoestrada e passa por uma nuvem de mosquitos. O carro é o planeta e os mosquitos são os detritos do cometa, que vão deixando um rasto conforme vamos passando por ele", ilustra.

À TSF, Ricardo Reis esclarece em que consistem as chuvas das perseidas

Your browser doesn’t support HTML5 audio

O pico do fenómeno vai acontecer entre sexta-feira e sábado, mas estas chuvas já começaram no final de julho e vão acabar apenas daqui a uns dias. Num contexto normal, as Perseidas podem chegar até 100 meteoros por hora. No entanto, desta vez, coincidem com a fase de lua cheia e, por isso, o número de meteoros por hora deverá cair para cerca de metade.

Mas de que forma é que a lua cheia pode interferir com as Perseidas? Ricardo Reis afirma que é uma "questão de iluminação". "Os meteoros são aqueles risquinhos muito ténues que vemos no céu. Quanto mais iluminação tivermos, menos vamos conseguir ver os meteoros menos intensos. Felizmente, a chuva das Perseidas tem a vantagem de produzir várias bolas de fogo, ou seja, meteoros maiores e mais brilhantes e que duram um pouco mais, por isso mesmo nos sítios que tenham alguma luz, se ficarmos uma hora a olhar para o céu nesta noite, quase de certeza que vamos conseguir ver alguns meteoros a passar, mesmo com a lua cheia."

Para conseguir ver a chuva das Perseidas, recomenda-se que, a partir da meia-noite e até ao amanhecer, esteja num local com o céu completamente escuro, "longe das cidades, sem nenhuma poluição luminosa". "A ideia é ficarmos de papo para o ar a olhar para o céu durante uma hora e ver alguns meteoros a passar."

Qual a melhor forma de observar as perseidas? Ricardo Reis explica

Your browser doesn’t support HTML5 audio

Além das Perseidas, há também uma superlua para ver na madrugada desta sexta-feira. É a quarta e última deste ano. Segundo Ricardo Reis, a superlua é "uma lua cheia que ocorre mais ou menos na altura da maior aproximação da Lua à Terra, o que chamamos de perigeu".

"Chama-se superlua porque como é uma lua cheia que está um bocadinho mais perto da Terra do que a média, ela vai efetivamente parecer ligeiramente maior do que noutras luas cheias", sublinha.

"O que ocorre é um efeito que não é ótico, é mais psicológico, que é quando a Lua está a começar a nascer, logo ao anoitecer. Quando a Lua está mais baixa, como temos termos de comparação, como os prédios ou as árvores, o nosso cérebro interpreta a Lua como estando um pouco maior do que aquilo que é, mas isso é um efeito que ocorre sempre que a Lua está mais baixa no horizonte e é um efeito psicológico. Se tirarmos uma fotografia à Lua, quando está mais em baixo ou em cima, ela vai ter o mesmo tamanho, embora aos nossos olhos não pareça. Depois há o efeito físico da superlua, que é o facto de ela estar mais próxima de nós e parecer um bocadinho maior. No caso da superlua que está a acabar de nascer temos o sobrepor dos dois efeitos, ela quando nasce parece gigantesca", o que dará "um espetáculo visual bastante agradável".

Ricardo Reis descreve os efeitos da superlua

Your browser doesn’t support HTML5 audio

Em Portugal, a visibilidade da superlua vai depender das condições meteorológicas, mas assim que estiver a nascer, "se tivermos vista desimpedida para Este, a lua vai lá estar, depois vai subindo no céu conforme a noite vai evoluindo e vai ser visível durante toda a noite".

Relacionados

Veja Também

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG